Obter meninas

meninas. Os resultados foram discutidos considerando-se o nível lingüístico infantil e os contextos nos quais ... suem o mesmo sentido, a saber: obter do ouvinte a realiza-ção de uma ação ... Para obter a meninas como você, antes de tudo, não ser muito nervoso para impressioná-la ou de que maneira você pode assustá-la. Além disso, tente ficar longe de entrar em amigo zona como nada é mais importante do que isso. Para saber como obter a meninas como você ler melhor este artigo como temos classificadas as melhores dicas para ... Todos nós temos que obter alguma tipo de habilidade, seja habilidade física ou mental para podermos exercer funções no dia a dia. Os jogos são uma excelente ferramenta para que você possa obter habilidades físicas e mentais. Os jogos de habilidade possuem exercícios mentais e alguns necessitam de precisão cirurgica com suas mãos, sendo um dos jogos que mais nos desafiam. Expand your Outlook. We've developed a suite of premium Outlook features for people with advanced email and calendar needs. A Microsoft 365 subscription offers an ad-free interface, custom domains, enhanced security options, the full desktop version of Office, and 1 TB of cloud storage. Jogos de meninas: Girl Games: Nesta categoria você vai passar horas e horas jogando múltiplas e diferentes jogos, a nossa selecção de jogos para meninas tem várias subcategorias e não ser capaz de decidir qual deles quer jogar. Você pode entrar na cozinha e preparar deliciosos bolos e pizzas doces e crocantes então você pode fazer em sua própria cozinha para convidar seus amigos para ... Algumas meninas do internato recebem meninas na sexta série, de modo a verificar com a escola se esse é o caso. Os internatos de meninas geralmente estão no topo do ranking e por boas razões. Em um ambiente não misto, e sem se distrair e envergonhar, as garotas podem alcançar e alcançar todo o seu potencial. Rápido e fácil de obter esses shorts de menina de 12 anos online com preços com desconto, vocę precisa de remetentes e fornecedores na China. O DHgate está sempre aqui para oferecer shorts de menina de 12 anos com o menor preço, a mais alta qualidade e os melhores serviços ao cliente. Este site utiliza cookies para análise de dados, conteúdo personalizado e anúncios. Ao continuar a navegar neste site, concorda com a sua utilização. Exercícios abdominais para mulheres: Meninas, obter mais de seu treino! ... Se você está realmente em obter um corpo mais sexy, você deve aprender a se concentrar para o treino abdominal que está fazendo. Concentre-se na obtenção de resultados e dedicar tempo suficiente para atingir o seu objetivo. Anuncios Gratis Encontros Funchal. Os cookies ajudam-nos a fornecer, proteger e melhorar os serviços. Ao continuar a usar o nosso site, você concorda com a nossa Política de Cookies .

Medindo a discriminação no mercado de trabalho

2020.08.27 03:16 SakuInxado Medindo a discriminação no mercado de trabalho

Em que medida a discriminação nos mercados de trabalho afeta os ganhos de diferentes grupos de trabalhadores? Essa questão é importante, mas responder a ela não é fácil.
Não resta dúvida que diferentes grupos de trabalhadores recebem salários substancialmente diferentes, como demonstra a Tabela 2. Nos Estados Unidos, o homem negro mediano recebe 21 % a menos que o homem branco mediano, e a mulher negra mediana recebe 13% a menos que a mulher branca mediana. As diferenças por sexo são ainda maiores. A mulher branca mediana recebe 24 % a menos que o homem branco mediano, e a mulher negra mediana recebe 15% a menos que o homem negro mediano. Se tomados em seus valores absolutos, esses diferenciais parecem evidenciar que os empregadores discriminam negros e mulheres.
Há, no entanto, um problema em potencial com essa inferência. Mesmo em um mercado de trabalho livre de discriminação, pessoas diferentes recebem salários diferentes. As pessoas diferem no montante de capital humano que possuem e no tipo de trabalho que podem e desejam fazer. As diferenças de salários que observamos na economia podem, em certa medida, ser atribuídas aos determinantes dos salários de equilíbrio que abordamos na seção anterior. A simples observação das diferenças salariais entre grupos amplos - brancos e negros, homens e mulheres - não prova que os empregadores os discriminem.
Considere, por exemplo, o papel do capital humano. Entre os trabalhadores homens, os brancos têm aproximadamente 75% mais chances de obter diploma universitário que os negros. Assim, pelo menos parte da diferença entre os salários dos brancos e os dos negros pode ser atribuída a diferenças no nível de instrução. Entre os trabalhadores brancos, homens e mulheres têm agora quase a mesma chance de obter nível universitário, porém os homens têm probabilidade aproximadamente 11 % maior de cursar uma especialização ou uma pós-graduação, indicando que parte do diferencial salarial entre homens e mulheres pode também ser atribuída à instrução.
Além disso, o capital humano pode ser mais importante na explicação dos diferenciais salariais do que sugerem as medidas de tempo de instrução. Historicamente, as escolas públicas das áreas predominantemente negras são de baixa qualidade - em termos de despesas, número de alunos por sala de aula, e assim por diante - em comparação com as escolas públicas de áreas predominantemente brancas. De maneira similar, há muitos anos as escolas afastavam as meninas dos cursos de ciências e matemática, muito embora essas disciplinas tenham maior valor no mercado do que algumas das alternativas de estudo. Se pudéssemos medir a qualidade e a quantidade de instrução, as diferenças de capital humano entre esses grupos seriam ainda maiores.
O capital humano adquirido sob a forma de experiência de trabalho também pode ajudar a explicar as diferenças salariais. Em particular, as mulheres tendem, em média, a ter menos experiência de trabalho em comparação com os homens. Uma razão para isso é que a participação feminina na força de trabalho vem aumentando nas últimas décadas. Por causa dessa mudança histórica, a trabalhadora média é, hoje, mais jovem que o trabalhador médio. Além disso, existe uma grande possibilidade de as mulheres interromperem sua carreira para criar os filhos. Por esses dois motivos, a trabalhadora média tem menos experiência que o trabalhador médio.
Já outra fonte de diferenças salariais está nos diferenciais compensatórios. Homens e mulheres não escolhem os mesmos tipos de trabalho, e esse fato pode ajudar a explicar algumas das diferenças nos ganhos entre eles. Por exemplo, as mulheres mais provavelmente serão secretárias e os homens mais provavelmente serão motoristas de caminhão. Os salários relativos das secretárias e dos motoristas de caminhão dependem, em parte, das condições de trabalho de cada ocupação. Como é difícil medir esses aspectos não monetários, é também difícil avaliar a importância prática dos diferenciais compensatórios para explicar as diferenças salariais observadas.
No fim, o estudo das diferenças salariais entre grupos não estabelece nenhuma conclusão clara sobre a existência de discriminação nos mercados de trabalho norte-americanos. A maioria dos economistas acredita que parte dos diferenciais salariais observados pode ser atribuída à discriminação, mas não há consenso a respeito de quanto. A única conclusão sobre a qual há consenso entre os economistas é negativa: como as diferenças entre os salários médios dos grupos refletem, em parte, diferenças no capital humano e nas características dos empregos, elas, por si mesmas, não nos dizem nada a respeito de quanta discriminação há no mercado de trabalho.
Naturalmente, diferenças no capital humano entre grupos de trabalhadores podem, elas mesmas, refletir discriminação. Os currículos menos rigorosos tradicionalmente oferecidos às estudantes, por exemplo, podem ser considerados uma prática discriminatória. De forma similar, as escolas de qualidade inferior historicamente disponíveis para os estudantes negros também podem ser atribuídas ao preconceito das câmaras municipais e dos conselhos de ensino. Mas esse tipo de discriminação ocorre muito antes de o trabalhador ingressar no mercado de trabalho. Nesse caso, a doença é política, ainda que o sintoma seja econômico.
Introdução à Economia, N. Gregory Mankiw, Tradução da 6º Edição Norte-Americana, p. 383-4, São Paulo Cengage Learning, 2013.
submitted by SakuInxado to brasil [link] [comments]


2020.08.15 18:37 Lucas_D_Soares Os Dois Lados da Mesma Moeda...

Fala seus lindos, maravilhosos e cheirososo cheios de amor, muito importantes para todos. MInha internet caiu e decidi escrever um pouquinho, espero que gostem e reflitam talvez.
Eu noto algumas coisas sem sentido às vezes, mas que depois tem muito significado.
Se quiserem me avaliar, fiquem a vontade, aberto a criticas.
Os Dois Lados da Mesma Moeda!
Que vivemos em uma sociedade capitalista, isso não é novidade para ninguém, mas os efeitos, sejam bons ou ruins, não serão sentidos por todos, isso é um fato. Quero compartilhar algo que notei e como uma palavra que grande parte daqueles que vivem no meio de tal sistema nem sabem o que é influência tanto nas vidas e criação das pessoas, como um todo. Às quintas-feiras tenho trabalhado como ajudante numa pequena barraca de temperos. É uma feira noturna, a maioria dos produtos lá vendidos são churrascos, pasteis, bolos, doces, e algumas bijuterias etc. Algumas vezes ela está sem movimento e outras, algumas barracas faltam, às vezes. E foi no lugar de uma barraca de doces, que se estabeleceu um trio de crianças: dois garotos e uma garota. Um dos dois meninos era provavelmente o mais velho dentro do grupo, talvez tinha uns 12 a 13 anos; a menina por sua vez deveria ter uns 10 a 11; quanto ao caçula, no máximo uns 8 anos. Esse infame trio, como todos os outros adultos ali presentes, queriam vender seus produtos: maçãs do amor, espetos de morango banhados em chocolate e algumas balas de menta, aquelas verdes de goma, vendidas num saquinho bem pequeno, com certeza eles tinham concorrentes! Eles ficaram estacionados ao lado duma barraca de frutas, utilizando caixotes do vizinho como mesa e cadeira. Sinceramente, se venderam 10 coisas de suas caixas de isopor fora muito, mas ali ficaram até umas 22h. Do lado oposto á eles, a barraca vizinha há minha, o nosso companheiro de feira vendia brinquedos, que era para aqueles três, e para todas as crianças que passam por lá, algo lindo e fantástico de se apreciar. Mesmo gritando(ou melhor, tentando), para chamar a atenção de seus possíveis clientes, vira e mexe seus olhos iam de encontro aquelas obras de plástico que continham luzes e sons atraentes a todos. Um olhar de desejo, e desejo distante. No mesmo lado em que se encontravam, um pouco mais longe tem uma imensa barraca de churrasco, e meu povo, parece que ninguém mais se importa com Covid, seja 19 ou 1000. Durante aquela noite, mais uma família chega ali para comer algo que pode ser feito em casa com segurança e conforto. Eram dois casais: O pai e a mãe, e dois filhos, os quais aparentavam ter a mesma faixa etária que os dois mais novos vendedores de doces. Esse par de bem-vestidos, enquanto seus pais estavam na mesa aguardando seu pedido, foram visitar o “parque” de brinquedos chamativos, na esperança de levar alguns para casa. Eles eram iguais aos que estavam do outro lado com o mesmo desejo, porém, esses, nem gastavam os esforços de visitar a barraca, pois sabiam que nada levariam dali, seria inútil desgastar mais ainda seus chinelos de tamanhos desproporcionais a seus pés ou arriscar rasgar suas roupas que, muito provavelmente, outrora, pertenceu a outro dono. Escrevi tudo isso para chegarmos nesse ponto: dois pares de crianças; com quase as mesmas idades; dos mesmos sexos; no mesmo lugar;. um par observara tudo aquilo de longe, enquanto o outro tocava e experimentava todos aqueles brinquedos chamativos; um tinha certeza de que não o teria, o outro gritaria para seus responsáveis na grande possibilidade de obter; os mesmos desejos, oportunidades e vidas completamente diferentes. Apesar das igualdades, a quantidade de papel vindo de uma fabrica dum lugar que poucos sabem onde fica, determina seus destinos, suas vidas, seu crescimento, tudo... Eu só tenho a agradecer a Deus por poder hoje ter um celular e um computador para passar esta informação, pois apesar de tudo o que somos ou o que queremos ser, o dinheiro que determinará o quanto teremos que nos esforçar para conquistar o que queremos, que horas iremos chegar em casa, que horas acordaremos, atrás de qual volante iremos ir ao trabalho ou ir passear, tudo isso que foi definido por pessoas que nunca falamos, que só conhecemos por vista na internet, televisão ou livros de historia. Um dia um homem depois de perceber que tinha muita comida, decidiu fazer trocas, depois outro decidiu vender, e esses homens que só Deus sabe quem são definiram o nosso hoje, definiram por onde você lê isso, definiram até as amizades e felicidades que você tem e compartilha. No mover e no falar de um homem, muitas vidas perecem e nascem, tem sucesso ou fracasso, naquilo que você escolhe fazer, o mundo todo pode mudar. O mundo esta em nossas mãos, basta move-las para o lugar certo que encontraremos a felicidade ou tristeza, o sucesso ou fracasso, nossos sonhos ou mortes...
submitted by Lucas_D_Soares to desabafos [link] [comments]


2020.08.10 02:07 YatoToshiro Fate/Gensokyo #53.5 Jeanne d'Arc Alter (Fate/Grand Order) Parte 1


https://preview.redd.it/s8mt45qcg2g51.png?width=5000&format=png&auto=webp&s=1541c3e2a0699ec5c831325775f59f31a0907eb4
​E esse é meu Ultimo Post de Personagens de Fate/Apocrypha.
Mas antes de falar da Jeanne d'Arc (Ruler - Alter) vou falar de outras versões dela.
Jeanne (Archer)

https://preview.redd.it/69fphkbsg2g51.png?width=350&format=png&auto=webp&s=e01014832ebea6a4b67b3c1ec2fb75005b653a74
Esta é uma santa que entrou em um verão eterno.
A estrela Dolphin World, aparecendo em plenitude com toda a sua santidade.
Substituindo sua bandeira sagrada por um arco (anel),
Agora, uma fantasia sem precedentes vai começar ―――
"Sim, francamente falando, estou animada por estar de maiô! Não vamos falar de assuntos estritos e aproveitar este verão agradavelmente!"
Apesar de estar em uma variante de maiô, ela acha que não há nada de diferente em si mesma.
Mas é claro que existem muitas diferenças.
Honrando o verão do que a bondade, e com o clima sendo tão fofo, essa é claramente uma sensação de flutuar no verão.
Além disso, o maiô é menos para se vestir,
mas mais para aproveitar o verão até o último momento.
No entanto, quando seu Saint Graph atinge a ascensão final, sua classe muda de "uma irmã mais velha dos golfinhos na praia" para "uma santa que caminha para o verão eterno". Ela transforma a bênção do Senhor em um anel de luz (halo), transformando-a em um Santo-que-Você-Pode-Fazer e Altamente Poderoso.
Ela comanda golfinhos como familiares.
Seu nome é Reece, e seguindo as instruções de Jeanne, eles voam pelas terras e voam pelos céus.
Ele também tem grande inteligência e costuma ficar ao seu lado a uma distância moderada.
Quer saber como te apagar.
Jeanne ajudou os golfinhos que encontrou, um cenário simples e fofo de Garota-Encontra-Golfinho.
Ela formou o Círculo "St. Orleans" junto com Maria Antonieta.
Embora a dupla preocupada acredite estar escrevendo comédias de amor, parece que ganhou um tipo diferente de reputação.
"Não importa como você leia, esta é uma cena de explosão".
“Em vez de agridoce, é mais como água saturada com açúcar”.
“Não entendo por que você lançaria um smartphone de um canhão só para perguntar a alguém o endereço de contato”.
Jeanne (Lancer - Alter- Lily)

https://preview.redd.it/0w1f3sftg2g51.png?width=350&format=png&auto=webp&s=8944a55f8733c16680f6a5d57f9e222bcc8aa4a0
O verdadeiro nome de Lancer é Jeanne d'Arc Alter Santa Lily, Tomando forma após Jeanne Alter beber a Poção da Juventude de Gilgamesh para se tornar "Jeanne Alter Lily "e, em seguida, ganhando o título de" Papai Noel "com o objetivo de se tornar" Santa Jeanne d'Arc ".
Nem é preciso dizer que Jeanne d'Arc é uma mulher sagrada trágica, mas seu período de atividade foi de apenas dois anos extremamente curtos. Jeanne Alter é a forma enegrecida de Jeanne d'Arc que originalmente não existia, mas como a forma infantil dessa "menina que não existe", não há registros de que Jeanne Alter Santa Lily tenha existido em qualquer lugar no eixo do tempo.
A Historia Completa da Jeanne Santa Alter Lily você vai ver aqui:
https://www.reddit.com/Fate_GensokyoBcomments/...
Jeanne d'Arc RuleAvenger Alter
«Se é certo que Deus existe, então certamente a retribuição divina me encontrará. »
(Jeanne Alter)
O verdadeiro nome do Vingador é Jeanne d'Arc (Alter), também conhecida como Jeanne Alter. A versão alterada de Jeanne d'Arc. Embora designada como Alter, isso não significa que ela seja um aspecto diferente de Jeanne d'Arc. Uma Joana da vingança que Gilles de Rais, o marechal do Exército francês que chorou pela morte de Joana d'Arc, fabricou por meio do Santo Graal logo após a execução de Joana em 1431. Como um espírito heróico que é exatamente o oposto do próprio Jeanne, ela está se manifestando na Classe Vingador.
Já que a própria Jeanne não é uma heroína, mas uma santa, a possibilidade de "invocar um aspecto diferente dela" é nula. Porque essa Jeanne negra tem a raiva de Gilles de Rais ... os preconceitos e os desejos dela assim ... misturados com suas partes fundamentais, um "lado" que nunca deveria acontecer acabou sendo trazido à tona. Como tal, pode-se pensar que esta Joana d'Arc é composta principalmente pelos preconceitos de Gilles de Rais; uma existência que engloba muitos dos preconceitos e sentimentos corrompidos de Gilles. A Bruxa do Dragão que ressuscitou com o objetivo de obter vingança contra a França. Uma santa mulher que fala de justiça como se fosse a dona do lugar e, sem duvidar disso, é estimulada pela ira do povo; essa é a forma que Gilles de Rais desejava que ela fosse.
O Resto da Historia você vai ver na Parte 2 desse post.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.08.10 01:58 YatoToshiro Fate/Gensokyo Jeanne (Lancer - Alter- Lily)


https://preview.redd.it/18imf01ze2g51.png?width=350&format=png&auto=webp&s=aa332a3b4a031077b332eba41c134abfcffb0be8
A segunda geração é Alter-chan ~ 2016 Natal ~
Jeanne Alter encontra Gilles de Rais tarde da noite para falar sobre o Natal. Frustrada com o Papai Noel, ela diz a Gilles que vai roubar seu saco e distribuir os presentes antes que o Papai Noel o faça. Esse ato, ela acredita, fará as crianças e o Papai Noel chorarem. Gilles diz a ela que roubar o saco do Papai Noel será difícil, já que nenhum dos dois tem Ocultação de Presença. Em resposta, Jeanne Alter revela que Child-Gil deu a ela uma poção de invisibilidade. Enquanto estiver sob os efeitos da poção, ela roubará o saco do Papai Noel e passará a noite entregando os presentes. Assim, enquanto as crianças abrem alegremente os presentes amanhã, ela terá prazer nas lamentações de Santa Alter. Acreditando que seu plano seja perfeito, Jeanne Alter se prepara para beber a poção. Ela é cautelosa sobre beber, explicando que ela perguntou a Child-Gil sobre seu eu adulto como precaução. No entanto, apesar de seus medos, ela continua a beber a poção. Gilles aponta que ela não é invisível, portanto, Jeanne Alter acredita que Child-Gil a enganou. Mas, assim que ela se prepara para roubar a poção da invisibilidade real, ela de repente se transforma em uma criança, revelando que a poção é a Poção da Juventude. Esta versão infantil chama o plano de seu eu adulto de se tornar um malvado invisível, mas mesmo assim decide realizar seu desejo de ser o Papai Noel por respeito a esse desejo. Apresentando-se como Jeanne Alter Lily, ela anuncia que nasceu para se tornar o próximo Papai Noel. Depois que ela se chama de idiota por causa de seu plano de invisibilidade, Gilles pergunta se ela tem um plano. Alter Lily responde que ela não precisa de um plano, em vez disso, ela apenas convencerá o Papai Noel de que ela é o melhor Papai Noel. Ela então vai para o quarto do Papai Noel para fazer o que ela se propôs a fazer, mas ela é imediatamente e violentamente expulsa. Ao ouvir a comoção, Jeanne d'Arc vê Alter Lily e exige uma explicação de Gilles. Depois de obter uma explicação, Jeanne leva Alter Lily para o quarto de Ritsuka.
No quarto de Ritsuka, Jeanne explica a situação para Ritsuka, e Alter Lily se apresenta como Jeanne d'Arc Alter Santa Lily, Servo da classe Lancer. Ela então tenta e falha várias vezes em dizer seu nome mais rápido a pedido de Ritsuka, mas para quando Jeanne aponta que Ritsuka estava brincando com ela. Depois que Child-Gil se desculpa por dar a ela a poção errada, Alter Lily o critica por seu descuido. Ela também chama seu eu adulto de imprestável, culpando Jeanne por sua má atitude, estragando-a. Santa Alter então entra na sala, pedindo para falar com Ritsuka e Jeanne, e diz a Mash para brincar com Alter Lily. Alter Lily tenta exigir o saque de Papai Noel para ela, mas a ameaça de Papai Noel a faz parar. Enquanto Papai Noel fala com Ritsuka e Jeanne, Mash pergunta a Alter Lily por que ela quer ser Papai Noel. Ela responde que é porque seria o melhor Papai Noel de todos os tempos, acreditando que pode entregar os presentes adequados e ideais para todos. Ela critica o Papai Noel por dar presentes inúteis quando Mash se lembra da expressão vazia de EMIYA ao receber as chaves pretas no último Natal. Sabendo do Natal passado graças às memórias de sua personalidade adulta, Alter Lily afirma que pode dar presentes melhores que todos vão adorar. Quando Santa Alter volta de uma conversa com Ritsuka e Jeanne, Alter Lily fica com medo dela e se esconde atrás de Ritsuka. Santa Alter se prepara para dar o saco de Alter Lily, tendo decidido que ela pode ser o Papai Noel este ano. Mas antes disso, ela testa o valor de Alter Lily em ser o Papai Noel no simulador de combate. Passando no teste de Papai Noel, Alter Lily recebe sua sacola e, em seguida, sai com Ritsuka para entregar os presentes.
Voando pelo céu em Llamrei II, Alter Lily critica "The Gift of the Magi", dizendo que sua lição de moral cai por terra, já que os presentes dos casais se tornam inúteis no final. Mais tarde, ela lê que o primeiro pedido é de Jing Ke, que no ano passado pediu uma adaga afiada, mas em vez disso conseguiu um "elegante cavalheiro mais velho". Acreditando que ela tem o melhor presente para ela, Alter Lily e Ritsuka voam até o esconderijo da caverna de Jing Ke. Entrando na caverna, Alter Lily decepcionantemente testemunha Jing Ke, Ushiwakamaru e Mata Hari enquanto eles provocam Tarasque. Ela se anuncia quando Santa Marta percebe ela e Ritsuka, e começa a repreender todos eles por terem se embriagado. Ela fica com medo e se esconde quando Jing Ke a toca em seu estado de embriaguez. Ela fica ainda mais assustada quando Ushiwakamaru ameaça queimar tudo para fazê-la sair do esconderijo. Ela é então desafiada por Martha a lutar com ela e as outras meninas, o que ela aceita de bom grado. Depois de derrotá-los, Alter Lily dá às meninas seus presentes, que são todos desintoxicantes. Ela os repreende novamente por ficarem bêbados, dizendo que não é algo que Servo deveria fazer. Assim, ela lhes diz que o remédio é para que cumpram seus deveres como Servos, mas avisa que isso também significa que eles sofrerão danos se beberem álcool. Martha pergunta se ela fez o remédio, ao que Alter Lily responde que ela fez um Conjurador que usava roupas brancas, apesar de não conhecê-lo. Enquanto Jing Ke, Ushiwakamaru e Mata Hari partem para matar o Conjurador, Alter Lily sai com Ritsuka e segue para a próxima parada. Ela rapidamente agarrou Martha, que começou a perguntar o que ela pensava quando escolheu aqueles presentes. Alter Lily responde que ela queria dar presentes a Jing Ke, Ushiwakamaru e Mata Hari que seriam úteis para eles. Martha discorda desse sentimento, porém, acreditando que os presentes de Natal têm mais a ver com alegria do que com práticas. Alter Lily discorda fortemente de Martha, porém, acreditando que um presente prático é melhor do que aquele que traz alegria. Ela então sai com Ritsuka depois que Martha agradece pelo presente e lhe deseja boa sorte.
Em seguida, Alter Lily e Ritsuka voam para o Japão para entregar presentes aos servos de lá. Ao pousar, ela cumprimenta Fuuma Kotarou e se apresenta como Papai Noel. Em resposta à confusão de Kotarou sobre o Papai Noel ser uma criança, ela proclama mais uma vez que é o Papai Noel e não uma criança, fazendo beicinho sobre todos sempre tratarem como uma criança. Ela rejeita a oferta de doces de Tawara Touta, afirmando que tudo sabe que você não deve aceitar coisas de estranhos. Depois de rejeitar a oferta de doces de Ritsuka, ela dá a Kotarou seu presente, um dicionário Japonês-Inglês. Ela diz a ele que o nome de Noble Phantasm tem muitos problemas gramaticais e coisas, então o dicionário é para traduzi-lo para o inglês adequado para um nome de Noble Phantasm adequado. Touta chama seu presente de terrível, mas Alter Lily o defende, alegando que é para o próprio bem de Kotarou. Quando Touta diz que um presente de Natal deve trazer alegria, Alter Lily afirma que um presente não é bom se não for útil. Ela continua que, se esse não for o caso, então dar presentes é apenas trazer alegria ao doador. Ela afirma que presentes que trazem alegria não fazem o mundo melhor, acreditando que o Papai Noel precisa dar presentes úteis às pessoas para que possam melhorar. Ela então entra em uma discussão infantil com Kotarou sobre o que ela acabou de dizer, o que aumenta até ela ser desafiada a lutar com ele e Touta. Depois de ser derrotado, Kotarou aceita o presente de Alter Lily, mas diz a ela que não mudará o nome de seu Noble Phantasm, em vez de usá-lo para aprender algumas palavras da língua de seus antepassados. Alter Lily fica desapontada consigo mesma quando descobre que o Nobre Fantasma de Kotarou tem valor sentimental para ele. Ela é agradecida pelo dicionário e depois sai com Ritsuka. Mais tarde, no céu, ela pondera se seu presente para Kotarou foi útil e percebe que ser Papai Noel é mais difícil do que ela pensava. De repente, um "misterioso" Servo se apresentando como Santa Island Mask embarca no Llamrei II. Ele diz a Alter Lily para perseverar em seu papel de Papai Noel, dizendo que é função do Papai Noel sempre se levantar e dar sempre sorrisos. Alter Lily decide aceitar o Papai Noel como seu mentor para guiá-la a ser um Papai Noel melhor.
Alter Lily e Ritsuka chegam em um labirinto, mas estão perdidos graças à falta de direção dela. Ela provavelmente encontra pessoas por perto, presumindo que foram elas que pediram presentes ao Papai Noel. Ela se apresenta e se prepara para dar o presente a eles, mas as chamadas pessoas acabam sendo monstros. Depois de matar os monstros, Alter Lily ouve vozes de crianças chamando pelo Papai Noel. Gritando em resposta, ela é encontrada por Nursery Rhyme e Jack, o Estripador. Garantindo que ela está bem, Alter Lily pergunta se foram eles que pediram presentes ao Papai Noel. Eles confirmam, mas estão confusos, pois ela não é o Papai Noel. Jack e Nursery Rhyme contam a Alter Lily sobre como Papai Noel lhes deu muitos presentes no último Natal. Alter Lily é então forçado a lutar contra eles, já que Papai Noel ensinou Jack e Nursery Rhyme que eles precisam lutar para ganhar seus presentes. Ela os derrota, e eles explicam que não ganham presentes desde que perdidos, embora ela tenha presentes para eles. De repente, uma chave preta rosa cai no chão marcando a chegada de Santa Mask. Santa Mask convence Alter Lily a fingir que perdeu para Jack e Nursery Rhyme. Ela passa a fingir que foi derrotada por Jack e Nursery Rhyme, explicando que a vitória tardia é porque eles usaram Damage ao longo do tempo. Fingindo estar muito fraca para se mover, ela decide dar seus presentes. Santa Mask agradece a Alter Lily por um trabalho bem feito, embora ela se sinta culpada por mentir. Depois que o Papai Noel vai embora, Jack e Nursery Rhyme convidam Alter Lily para o chá. Ela agradece pelo convite e avisa que lá entregará seus presentes. Chegando na festa do chá, ela deduz que nem EMIYA nem Asterios pediram presentes. Ela pergunta a Asterios se ele quer alguma coisa para o Natal, mas ele responde que não. Acreditando que duvida que ela seja o Papai Noel desde criança, Alter Lily diz a ele que ela é de fato o Papai Noel e exige saber o que ele quer. Asterios responde que quer que dias divertidos como o de hoje durem o máximo possível, um desejo que Alter Lily percebe que ela não pode conceder. Rejeitando a oferta de comida de Asterios e a tentativa de EMIYA de falar sobre ela, ela dá presentes a Jack e Nursery Rhyme. O presente é um eremitério, pois Alter Lily acredita que Jack e Nursery Rhyme precisam de um lugar tranquilo para estudar em vez de brincar. Ela tenta explicar por que isso seria bom para eles, mas então decide que não seria e foge. Enquanto ela corre, Alter Lily percebe que é praticamente tudo o que ela tem, e que ela tem desejo nem esperança, já que a existência dela é impossível. No entanto, apesar disso, ela pensou que poderia conceder os desejos dos outros em vez dos seus próprios, e é por isso que ela queria ser o Papai Noel. No entanto, ela acredita que falhou em ser o Papai Noel, pois não sabe o que faz as pessoas felizes. Sozinho no meio de um campo de neve, Alter Lily é finalmente encontrado por Ritsuka, Jack e Nursery Rhyme. Ela se sente abatida quando eles devolvem o presente para ela, mas eles dizem que querem ver o mar. Santa Mask então aparece e a incentiva a atender o pedido de Jack e Nursery Rhyme, já que ela pegou o presente de volta. Alter Lily diz a Jack e Nursery Rhyme para embarcarem no Llamrei II para que ela possa levá-los ao mar. Antes de sair, ela agradece ao Papai Noel e garante que fará o possível.
Enquanto o grupo voa para seu destino, eles são repentinamente puxados para baixo por um Servo. Após um pouso forçado, eles são confrontados por Leonidas, que proclama que não pode deixar Alter Lily conceder o desejo de Jack e Nursery Rhyme de ver o mar. Questionado sobre o motivo por Alter Lily, ele explica que é por ordem de um gênio que ele não pode deixá-los passar. Alter Lily então luta com ele, alegando que é função do Papai Noel conceder desejos. Após a derrota, Leônidas diz a Alter Lily que há um grupo de Servos esperando à frente, e avisa que sua jornada até o mar não será fácil. Ela pergunta por que ele está tentando impedir o Papai Noel de realizar um desejo, mas ele apenas responde que ela terá que pedir detalhes ao próximo Servo. Depois que Leonidas desaparece de volta para Caldéia, Alter Lily confirma a condição de todos quando o Papai Noel aparece novamente. Ele pergunta a ela se ela ainda está disposta a continuar sua jornada, apesar de saber que ela não receberá nenhuma recompensa por realizar um desejo. Hesitante a princípio, ela responde que quer conceder o desejo de Jack e Nursery Rhyme, em vez de forçar um presente que eles não querem. O Papai Noel diz a ela para proceder com cautela, e cabe ao Papai Noel conceder ou não um desejo. Depois que ele sai dizendo que Papai Noel pode não ser um santo, Alter Lily pensa em como ela queria refutar isso. Ela queria dizer que o Papai Noel é um nobre santo que realiza o desejo de todos, por isso ela escolheu se tornar o Papai Noel. No entanto, ela não pode deixar de sentir que o que o Papai Noel disse pode ser verdade. Ela treme de medo do que acontecerá depois do Natal e se pergunta se ainda terá permissão para existir. O grupo percebe que não pode mover o trenó, então eles decidem seguir em frente sem ele.
Montando acampamento em uma floresta, o grupo come o banquete que a EMIYA preparou anteriormente. Mais tarde naquela noite, Alter Lily fala com Ritsuka sozinho enquanto Jack e Nursery Rhyme estão dormindo. Ela pergunta por que eles estão dormindo, já que são servos, e acreditando que estão desperdiçando energia mágica desnecessária, ela pergunta a Ritsuka se eles estão incomodando. Ritsuka responde que eles não se importam, mas Alter Lily responde que ela sente que é mais apropriado para um Servo permanecer na forma espiritual durante os tempos de descanso. Seguindo essa crença, ela se prepara para entrar na forma espiritual, mas antes disso, ela pergunta a Ritsuka se eles já viram o mar. Depois de darem suas respostas, Alter Lily se pergunta se é bom para Jack e Nursery Rhyme ficarem ansiosos para ver o mar. Ela continua que não tem nenhuma memória do mar, já que seu eu adulto nunca o viu. Ela então pergunta qual é o sentido de ir ao mar durante o inverno, já que eles só podem vê-lo, em vez de no verão, quando podem nadar nele. Ritsuka diz a ela que provavelmente ela vai gostar.
Na manhã seguinte, o grupo se prepara para continuar para o oeste em direção ao mar quando Mash detecta dois Servos. Hassan, do Braço Amaldiçoado, aparece declarando que não pode deixar o grupo ir para o mar. Em resposta a Alter Lily perguntando o motivo, ele responde que é porque o verdadeiro Papai Noel está aqui. Alter Lily suspeita de suas respostas, já que pareceu que ele pensou nisso quando Ritsuka disse que havia outros papais noéis. Evitando a acusação, Cursed Arm apresenta o verdadeiro Papai Noel, Santam, que pergunta o que é Papai Noel. Alter Lily responde que Papai Noel é o concedente de desejos, alguém que traz alegria trazendo presentes. Santam responde: Papai Noel é um vigia sem rosto que trabalha nas sombras e depois se revela. Alter Lily, Jack e Nursery Rhyme imediatamente percebem que Santam é apenas EMIYA usando uma máscara; algo que o choca, já que eles não conseguiram descobrir a identidade do Papai Noel. Ignorando isso, EMIYA diz a Alter Lily que ele veio para corrigir sua visão equivocada do Papai Noel. Ele diz a ela que ela não é um verdadeiro Papai Noel se ela hesitar ou fugir dessa jornada. Ele a desafia a lutar com ele se ela realmente acredita ser o Papai Noel. Alter Lily está cheia de dúvidas sobre ser o Papai Noel, acreditando que talvez EMIYA seja um Papai Noel melhor do que ela. No entanto, apesar de suas dúvidas, ela decide lutar, declarando-se o Papai Noel, uma vez que lhe foi confiado o saco do Papai Noel. Depois que ele é derrotado, EMIYA diz a Alter Lily para seguir em frente, nunca esquecendo que ela é um verdadeiro Papai Noel. Depois que ele sai dizendo a ela para não esquecer seus deveres, Alter Lily parece deprimido, mas ela diz a Ritsuka que ela ficará bem.
Conforme o grupo se aproxima do mar, Alter Lily se pergunta se ela ainda poderá ser o Papai Noel ou se desaparecerá. Ela, Jack e Nursery Rhyme são carregados por Ritsuka enquanto fogem de uma horda de bonecas vivas. Ritsuka tropeça em uma pedra, então o grupo é forçado a lutar contra as bonecas. Depois que as bonecas são destruídas, Santa Mask aparece e trai Alter Lily, alegando que ele a levou para sua armadilha. Querendo pegar o saco do Papai Noel como seu, ele explica que a primeira regra do Papai Noel é que o Papai Noel deve ser indiferente, mas justo. Eles realizam desejos e dão presentes de maneira justa, sem preconceitos e sem interesses próprios. Ele diz que Alter Lily está perdida, perplexa e angustiada, mas ela continua. Alter Lily questiona se é ruim estar perdido e perplexo, ao que Santa Mask disse que é. Alter Lily então pergunta se o interesse próprio é desnecessário, mesmo o desejo de conceder desejos; Santa Mask diz que não é necessário para o Papai Noel. Jack pergunta a Alter Lily se ela vai com ela e Nursery Rhyme para o mar, pois os dois querem que ela vá. Chamando seu desejo de absurdo, Santa Mask exige o saco novamente, mas Alter Lily se recusa a dá-lo a ele. Ela declara que não vai entregar o saco para alguém que insulta crianças e decide que deve derrotar o Papai Noel. Depois de derrotá-lo, Alter Lily diz a Santa Mask para se afastar, o que ele faz porque a viu decidida como Papai Noel. Enquanto ela continua em direção ao mar, Alter Lily começa a tremer com a sensação que ela continua tendo. Jack e Nursery Rhyme seguram suas mãos, e os três continuam à frente de Ritsuka. Ao anoitecer, as meninas alcançam a costa e, ao ver o mar, Alter Lily pensa que provavelmente falhou como Papai Noel. Ela começa a chorar alto, agora percebendo que era ela quem queria ver o mar. Ela pede desculpas a Jack e Nursery Rhyme por terem vindo ao mar para realizar seus desejos, mas para conceder os dela. Eles dizem a ela que está tudo bem, acreditando que ela fez o melhor que qualquer Papai Noel poderia. Ela então ouve as ondas com eles. Depois, ela corre para Ritsuka, que a observava de longe, e diz a eles que é o Papai Noel, embora seja jovem, imatura, egoísta e indefesa. No entanto, apesar de suas falhas, ela quer ajudá-la a Ritsuka. Ela pergunta a eles se pode ficar com eles mesmo depois do Natal e depois. Ritsuka a aceita, então Alter Lily agradece e os abraça.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.07.25 18:34 YatoToshiro Fate/Gensokyo #47 Archer of Red (Fate/Apocrypha)


Fate/Apocrypha - Fate/Grand Order
​O Nome Verdadeiro do Arqueiro é Atalanta, Uma caçadora famosa conhecida como Caçadora de Castas Que aparece na mitologia grega.
Ela é uma caçadora famosa por seus pés rápidos na lenda da Grécia Antiga. Ela se tornou famosa depois de ser a primeira a lançar uma flecha no Javali Calidoniano durante seu extermínio. Além disso, ela é incluída como membro dos argonautas, que reuniram bravos heróis de toda a Grécia. Ela tem o passado trágico de nascer como filha de um rei de um determinado país e ainda ser abandonada nas montanhas por seu pai.
Legend
Atalanta nasceu como filha do rei Iasus da Arcádia. No entanto, apesar de ter nascido e ser a princesa do paraíso natural, Atalanta acabou sendo abandonada nas florestas e nas montanhas imediatamente quando nasceu, quando foi evitada pelo pai - que desejava um filho. Mas ela sobreviveu graças à proteção divina de Artemis, uma deusa virgem que sentiu pena dela. Ártemis enviou e fez um urso fêmea, um animal sagrado da deusa, nutrir a menina dando leite e levantando-a. Em gratidão, Atalanta é um seguidor fervoroso de Ártemis.
Depois disso, depois de ter sido criada pela ursa enviada por Artemis, e mais tarde foi descoberta e adotada por caçadores que pisaram nas montanhas, Atalanta desenvolveu suas habilidades conspicuamente, talvez devido ao seu talento latente, e também se tornou uma caçadora. Ao atingir a idade adulta, Atalanta cresce e se torna uma caçadora excelente e inigualável, e ela realiza muitas aventuras.
Há três contos pelos quais Atalanta é famosa. O primeiro conto é sobre como ela foi escolhida, acompanha e participa como membro dos Argonautas liderados por Jason. Atalanta se orgulha de ser a mais rápida entre os humanos, e logo depois de se tornar uma das poucas tripulantes do Argo, ela conheceu o herói Meleager.
Meleager ficou encantado com Atalanta, e ele a convidou para o extermínio da Besta Mágica da Caledônia. O segundo conto é sobre o extermínio do Javali Calidoniano, onde Atalanta é mais conhecida por sua participação nesta caçada, mas isso resultou em uma tragédia logo após esse evento. Por uma questão de exterminar esta Besta Mágica que foi despachada por Artemis, que ficou com raiva de um rei que estava sendo negligente ao oferecer-lhe um sacrifício, Atalanta e os outros esgotaram seus esforços em uma tentativa desesperada de caçar o javali. No entanto, embora Meleager tenha perfurado o golpe final, ele entregou a conquista a Atalanta, que foi a primeira a acertar sua flecha no javali, sendo um ato de boa vontade para Atalanta, ou Meleager tendo pensado que isso é algo que deveria seja simplesmente seguido como um herói.
Em relação aos homens, eles demonstraram descontentamento em relação a isso, onde não podem crescer para serem simplesmente tolerantes e estavam dizendo que possuem habilidades maiores que Atalanta, que é mulher. Uma briga de repente ocorreu entre Meleager e seus parentes, e Meleager foi infligido por uma maldição mortal.
O terceiro conto é sobre a disputa pelo casamento de Atalanta. Após a caçada ao Javali Calidoniano, Atalanta retornou à sua terra natal, mas seu pai, que nunca teve um filho, ordenou que ela se casasse. uando os pretendentes começaram a se apressar para pegar sua mão, a problemática Atalanta decidiu transformá-la em uma competição de corrida de pés. Ao prometer um voto de virgindade à deusa, ela proclamou: "Só me casarei com alguém que possa me derrotar numa corrida de pés. Aqueles que perderem serão mortos". Ela rasgou um grande número de desafiantes. Embora Atalanta não perdesse para ninguém na corrida aos pés, ela caiu nos planos covardes de um homem que pediu emprestada a ajuda de uma deusa e acabou se casando sem força. Ela perdeu quando foi levada a pegar maçãs douradas irresistíveis jogadas na frente dela, e ela teve que quebrar seu voto. Posteriormente, foi dito que ela foi transformada em leão como punição, mas isso é incerto.
Em relação a Meleager, é incerto que tipo de sentimentos Atalanta abraçou por ele. No entanto, ela parecia ter visto o resultado de um homem que a amava ser arrastado para uma tragédia, enquanto, com relação à persuasão de seu pai em se casar, ela tentava escapar da demanda irracional que lhe era imposta, mas ela também não conseguia. No final, nenhum desses contos teve um final particularmente feliz para ela, e sua desconfiança em relação aos homens se tornou extremamente forte devido ao terceiro conto em particular também.
No que diz respeito a ela, Atalanta é uma existência que projetou seu eu anterior enquanto, simultaneamente, ela existe como um símbolo de pureza para as crianças. Embora ela tenha sido salva pelas mãos dos deuses, é quase além da redenção para o resto das crianças. Ela, que se materializou como serva, confia a salvação dos filhos ao Santo Graal. Todas as crianças do mundo todo. Essa missão não tem recompensa e, mesmo assim, mesmo sabendo que é um desafio difícil e quase impossível de realizar, ela perseguirá esse sonho por toda a eternidade.
Fate/Extra
Atalanta é brevemente mencionado em Fate/Extra como um Servo de passagem de um Mestre sem nome de Saber em uma conversa em Sala Privada. Ela elogia Atalanta como uma bela caçadora e um dos exemplos de um belo espírito heróico, ao contrário dos "feios", como piratas e ladrões. A menção não tem relação com o design dos apócrifos, e ela não faz uma aparição real.
A adaptação para mangá de Fate/Extra combina os dois aspectos, apresentando uma breve participação especial no design apócrifo de Atalanta. Saber e Atalanta lutam brevemente contra Lancer, onde Saber salva Atalanta do ataque de Lancer. Por fim, ela e seu Mestre perecem na Guerra do Santo Graal das Células da Lua.
Fate/Grand Order
Orleans: O Dragão Maligno Guerra dos Cem Anos
Atalanta, junto com outros Servos, é convocada por Jeanne Alter como Arqueira-Berserk.Para participar de sua destruição da França. Ela é encontrada por Ritsuka Fujimaru, Mash Kyrielight e seus aliados quando eles vão assaltar o palácio de Orleans. Depois de ser derrotada por eles, Atalanta aceita sua derrota, dizendo que a tarefa que lhe foi dada foi problemática e sem recompensa. Ela então diz ao grupo para derrubar Jeanne Alter. Ela tenta dizer algo sobre a próxima vez, mas desaparece antes que ela pudesse.
Okeanos: Os Quatro Mares Selados do Fim
Atalanta é um aliado da singularidade de Okeanos. Ela foi convocada junto com os outros argonautas: Jason, Heracles e Medea. No entanto, quando Jason quis procurar a Arca e sacrificar um deus, ela deixou o grupo. Ela finalmente encontra David e diz a ele o que Jason planeja fazer com a Arca. Depois de informá-lo disso, ela decide esperar com David até que os aliados cheguem à época.
Eles finalmente ouvem sobre Ritsuka e seus aliados procurando a Arca antes de Jason chegar a ela. Depois que Atalanta envia uma mensagem ao Golden Hind por flecha, David aguarda ansiosamente a chegada do navio, mas ela diz para ele se acalmar. Ela consegue desviar todos os flertes de David até Ritsuka e seus aliados chegarem. Ela vai conhecer o grupo onde se lembra de Ritsuka e Mash de Orleans, mas desta vez agradece por ser ela mesma. Após o choque de descobrir que Artemis é um romântico sem esperança, Atalanta leva o grupo pela ilha a conhecer David. Ela então fala de suas circunstâncias ao convocar e se aliar a David, explicando que nunca havia gostado de Jason na vida.
Mais tarde, Atalanta ajuda o grupo em seu plano de destruir Heracles, atraindo-o e fazendo-o tocar na Arca. Depois, ela e David se juntam ao grupo no Hind Dourado enquanto perseguem Jason. Depois que Caldéia recupera o Santo Graal de Medéia, Atalanta diz a Ritsuka e Mash que ela está feliz em ajudar neste momento antes de desaparecer com o colapso da Singularidade, embora ela se perguntasse como continuaria a oferecer sua oração a Artemis, agora que sua personalidade foi revelado.
Salomon: O Grande Templo do Tempo
Atalanta está entre os Servidores da Singularidade "Okeanos" para ajudar a Caldéia contra os Pilares dos Deuses Demônios. David flerta com Atalanta e a chama de Abishag.
Corrida de Verão Dead Heat! ~ Ishtar Taça de esperanças e sonhos
Atalanta é o líder de um grupo de bandidos que residem nos terrenos baldios. Ela se revela aos pilotos depois que eles derrotam alguns dos bandidos, referindo-se a eles como seus filhos. Ela explica que os pais são muito mais do que apenas genética e diferença de idade em resposta à confusão do grupo. Chamando o terreno baldio às planícies de Atalanta, ela diz aos corredores que suas estradas levam a onde ela e seus "filhos" plantaram maçãs-semente. Ela diz que eles são essenciais para o futuro de seus "filhos", então ela não pode permitir que eles sejam destruídos na corrida. Ela ignora a explicação de Helena Blavatsky de que as maçãs não podem crescer em um clima árido como o deserto. Ela então permite que os pilotos voltem ou encontrem outro caminho, caso contrário ela os matará. Eles a ignoram e continuam correndo, mas acionam as minas terrestres que ela plantou para proteger as maçãs das sementes. Atalanta declara que fará qualquer coisa, por mais desprezível que seja, para proteger seus "filhos". Ela então revela que comprou as minas terrestres de um demônio passageiro, garantido que elas trabalhariam nos servos. Quando Nitocris diz que as maçãs foram destruídas, considerando o tamanho das explosões das minas terrestres, Atalanta culpa os corredores pelo que aconteceu. Nitocris e Scheherazade tentam correr à frente, mas Atalanta os alcança facilmente a pé. Depois de ser derrotada por eles, ela diz que a fez para desempenhar seu papel. Ela admite que era um pouco demais esperar que eles acreditassem que uma gangue de bandidos eram seus filhos antes de desaparecer.
Fate/Apocrypha: Herança da Glória
Após a conclusão da Grande Guerra do Santo Graal, Darnic, ainda fundido com Vlad, permaneceu no Grande Graal. Ainda desejando adquirir o Graal, ele manifestou réplicas irracionais dos Servos participantes da guerra (exceto os Governantes) para lutar incessantemente em uma recriação da guerra dentro de uma recriação de Trifas. Eventualmente, Atalanta, Spartacus e Frankenstein atacam a Fortaleza Yggdmillenia, onde a festa de Ritsuka se baseia à noite. Eles derrotaram pelo grupo e desaparecem com a luz da manhã.
Devido à influência de Sieg, Atalanta, Spartacus e Frankenstein se manifestam na manhã seguinte. Aquiles pergunta a Atalanta se ela é a mesma que seu pai, Peleu, sempre falou. Ela percebe que ele é filho de Peleu, e lembra Peleu como o homem que ela jogou durante uma marcha de luta livre. Quíron entra na sala e pede ajuda para fazer armadilhas. Ele presume que ela seria mais adequada quando se trata de florestas. Atalanta aceita, mas ela se pergunta que dever, já que todos estão dentro do Graal. Quíron responde que é para proteger o Graal e diz que eles eram inimigos na realidade. Atalanta acha normal que os inimigos se tornem aliados; Aquiles diz que eles eram aliados como Servos de Vermelho. Ela está feliz por tê-lo como aliado, mas ressalta que o inimigo é instilado com a Divindade para negar sua imortalidade. Ela acha desagradável a perspectiva de potencialmente lutar contra si mesma mais tarde. Assim, ela pede a Aquiles para não arrastar "seu" corpo. Aquiles responde que ele não faria isso a menos que fosse um Berseker, ao qual Atalanta responde que ela estava brincando. Apesar de não ter nenhuma lembrança da Grande Guerra do Santo Graal, ela sente que ela e Aquiles tiveram muitas conversas. Aquiles responde que ele sempre quis conhecê-la desde que seu pai falou com carinho dela; Atalanta pede que ele pare de vergonha. Mais tarde, ela lança a catástrofe de Phoebus nas réplicas de Astolfo, Siegfried e Mordred atacando a fortaleza. A réplica Astolfo é capaz de evitá-la, no entanto, graças à capacidade de mudança de dimensão de Hippogriff. Então Atalanta decide que ela e Quíron continuarão atirando até que ele se materialize.
No dia seguinte, o grupo se une aos Astolfo, Siegfried e Mordred re-materializados. Durante uma reunião no jardim, é determinado que os Jardins Suspensos da Babilônia servem como base inimiga. Atalanta se pergunta se eles podem atacar os Jardins durante o dia em que Quíron diz que será defendido por doze Servos. Avicebron, no entanto, revela o golem que ele enviou para inspecioná-lo, conforme o pedido de Quíron, foi transportado para o exterior quando a noite chegou. Como não há alternativas, o grupo concorda com um ataque frontal. Enquanto os outros escolhem seus papéis para proteger Ritsuka e Sieg a caminho dos Jardins, Atalanta diz que ela apenas flecha quando perceber que Sieg sabe alguma coisa. Sieg lembra que ela usou um Noble Phantasm para voar durante a Grande Guerra do Santo Graal. Atalanta percebe que está falando sobre Agrius Metamorfose e lembra que é capaz de voar. Ela está convencida de que usou durante a Grande Guerra do Santo Graal e se pergunta se ela estava em uma situação tão desesperada para usá-lo. Ela decide usá-lo, mesmo que não seja para vôos prolongados. Ela diz a Spartacus que ele não pode se tornar um pássaro em uma única noite, quando diz que fará exatamente isso para chegar aos Jardins, dizendo que é ofensivo para os pássaros. Ela então sugere que ele use uma corda para subir ao jardim, o que ele aceita.
No dia seguinte ao ataque, o grupo come sanduíches de morango no jardim. Atalanta os acha doces e acredita que as crianças vão gostar. Ela irritantemente responde a Jack que o sangue e os morangos têm um gosto drasticamente diferente quando ela pergunta sobre isso. Quando Aquiles começa a exagerar as habilidades de Quíron, Atalanta pergunta se ele pode atirar a maçã em um magistrado do mal. Mais tarde naquela noite, o grupo começou a voar em direção aos Jardins. Atalanta encontra sua roupa enquanto Agrius Metamorphosis está ativo para ser um pouco arriscado, preferindo sua roupa regular. Ela decide lidar com isso de qualquer maneira, uma vez que lhe permite voar. Quando Quíron diz ao grupo para acreditar em sua própria sorte ao iniciar seu ataque, Atalanta interpreta mal quando ele diz a ela para desistir, já que sua sorte é muito baixa. O grupo finalmente descobriu a réplica dos Servos que os barravam e entrava nos Jardins. Eles derrotam Semiramis e Karna e os recrutam quando acordam na manhã seguinte. Eles são guiados por Semiramis para onde o inimigo reside, a câmara do Graal.
Na câmara do Graal, o grupo encontra Darnic, o cérebro por trás da Guerra do Grande Graal recriada. Sieg explica como Darnic se fundiu com seu Servo, a forma vampírica de Vlad através de um Feitiço de Comando, numa tentativa desesperada de retomar o Graal. Tornando-se um monstro além do de um vampiro, Darnic chegou perto de retomar o Graal até Shirou o destruir. Deveria ter terminado ali, já que um Servo deveria voltar para pura mana e retornar ao Grande Graal quando morressem. No entanto, isso nunca aconteceu porque Darnic era humano, e também porque Darnic prolongava a vida fundindo sua alma com a de uma criança. Como resultado desses fatores, Darnic não é um humano nem um Servo, ele é apenas um ser instintivamente buscando conceder seu desejo de adquirir o Graal. Sieg tenta convencê-lo a se render, dizendo que um Graal quebrado não pode alcançar a Raiz nem ativar a Terceira Magia. Darnic recusa e lembra ao grupo que ele já controla 87% do Graal. Ele declara que, enquanto ele possuir o Graal, nenhum grupo desaparecerá, mas eles desaparecerão quando ele se for. Ele então propõe usar o Graal para encarná-los, se eles concordarem em se juntar a ele. No entanto, todos eles recusam sua proposta por causa de seus próprios princípios como heróis. Atalanta diz a ele para obter sua própria vitória se não estiver satisfeito. Esperando que essa seja sua resposta, Darnic se conecta a uma réplica do Graal que emerge do Graal para o choque de Sieg. Ele então luta contra o grupo, fazendo com que a réplica do Graal gere continuamente réplicas de Servos. O grupo luta no começo, já que a réplica do Graal está usando suas afinidades de classe contra eles, então eles decidem fazer o mesmo. Atalanta questiona Mordred sobre a necessidade de orientação de Frankenstein, um Berserker. Mordred a chama de exibicionista em resposta, cujo choque faz com que Atalanta retorne ao seu eu original. Depois que a réplica do Graal é destruída, Darnic se recusa a desistir quando é atingido por Kazikli Bey do supostamente selado Vlad. Ao contrário dos outros, ele mantém suas memórias da Grande Guerra do Graal devido a Darnic se fundir com ele durante ela. Ele finalmente convence Darnic a aceitar que seu sonho quebrado nunca pode ser recuperado. Depois que Darnic e Vlad desapareceram, o grupo é teleportado de volta ao chão por Semiramis. Atalanta despediu-se dos outros, esperando vê-los novamente e desapareceu.
Interlude
Em seu primeiro interlúdio, Sorriso da Deusa, Atalanta viaja com Ritsuka e Mash para a ilha que eles conheceram durante a Singularidade de Okeanos para recuperar algo que ela deixou para trás. Lá, ela diz ao par que deixou uma estátua de Ártemis que ela fez à mão. Ela começa a liderá-los em direção a uma caverna do outro lado da floresta quando sente uma quimera. Depois de morto, o grupo entra na caverna. Atalanta diz a Ritsuka que um desejo egoísta do Graal não é exatamente o errado. Ela admite que também tem um desejo simples que sabe que nunca pode ser atendido, mas mesmo assim o persegue. Depois de matar mais monstesr, o grupo alcançou a estátua de Artemis. Atalanta expressa seu desdém geral por Orion quando Ritsuka sugere que ela faça uma estátua dele. Ela então pergunta a Mash se ela prefere se casar com Orion ou Jason, mas Mash não é capaz de responder como ela mesma. Artemis e Orion então chegam, e ela ataca o grupo pelo que Atalanta disse sobre Orion. Ela alerta Atlanta que não será mais abençoada por ela se vencer. Depois que ela é derrotada, Artemis e Orion vão embora. Atalanta então sugere que eles retornem à Caldéia com carne de Quimera ou pele de javali, mas Ritsuka silenciosamente rejeita os dois.
Em seu segundo interlúdio, London Child, Atalanta viaja para Londres com Ritsuka e Mash. Ela explica que ouviu Jack, o Estripador, manifestado lá. O grupo é então confrontado por Servos Sombrios. Depois de derrotá-los, eles finalmente encontram Jack. Atalanta diz a ela que nunca encontrará sua mãe, pois, mesmo que existisse, nunca a aceitaria como filha. Depois de derrotar Jack, ela confessa que queria salvá-la, apesar de estar sem dinheiro. Jack então desaparece e ela já foi salva. Atalanta adverte que Jack continuará se manifestando até que a história humana seja restaurada. Ela então afirma que seu desejo é salvar todas as crianças infelizes do mundo. Ritsuka acha que é um desejo difícil, ao qual Atalanta lhes agradece por não rirem dele. Ela percebe que é quase impossível, mas ainda quer persegui-lo.

Fate/strange Fake

Atalanta aparece brevemente quando Bazdilot Cordelion sonha com seu Servo, o passado do Arqueiro Verdadeiro. No sonho, quando o Argo navega pelo mar, Jason fala sobre seus objetivos para seu novo reino em Heracles, afirmando que ele se tornará o maior rei, que criará a melhor e mais justa nação, onde até alguém como Heracles pode viver sem se preocupar. . No fundo, as reações dos outros membros da equipe ao discurso de Jason foram variadas. Atalanta, descrita como uma arqueira com um ar bestial, olhou para Jason com suspeita. Quando Bazdilot conta seu sonho para True Archer, True Archer confirma que a mulher era Atalanta e que desdenhava Jason.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.07.21 03:26 YatoToshiro Fate/Gensokyo #44 Assassin of Black (Fate/Apocrypha)


Fate/Aporcrypha Fate/Grand Order

​O verdadeiro nome do Assassin é Jack the Ripper (Jack, o Estripador), o lendário serial killer. Embora existam inúmeras teorias sobre quem poderia ser Jack, o Estripador, ela é uma interpretação da série de assassinatos sangrentos na Inglaterra do século XIX. Sua verdadeira natureza é a de uma coleção de fantasmas nascidos de filhos abortados de prostitutas em Whitechapel, Londres. Por ser uma coleção de espectros e não uma entidade única, perfurar seu coração não levará à sua morte imediata, mas o derramamento desses espectros.
Quando o número de crianças abortadas que foram descartadas nos rios atingiu os dez mil, a coleção de ressentimentos que as crianças compartilharam acabou formando o ser humano. Por ter sido criada a partir de crianças que ainda nem nasceram, ela não possuía bom senso e moralidade e simplesmente matou prostitutas para poder voltar ao útero. Em outras palavras, esse é o herético Jack que nasceu do "lado das vítimas".
Depois de matar várias mulheres, recebeu o nome de "Jack, o Estripador", e se alegrou por ter recebido um nome que havia sido negado por tanto tempo. No entanto, nem eles mesmos sabem ao certo se eram ou não "Jack, o Estripador". Afinal, eles são uma amálgama de espíritos malignos, então suas memórias são sempre vagas e, mesmo que lembrem de ter matado prostitutas, é incerto quem exatamente eles mataram. O que eles matam como assassino não é um indivíduo específico, mas a sociedade que os matou, e as fortes emoções que eles carregam não podem ser entendidos por nenhum outro herói, tornando-os além da salvação. Eventualmente, um mago descobriu que o culpado dos assassinatos bizarros era de natureza mágica e a extinguiu.
Ela provavelmente reinará perpetuamente como um eterno mistério e eternas trevas esculpidas na história da Inglaterra. Enquanto sua identidade nunca foi descoberta, suas facas foram deixadas para trás após sua morte e posteriormente obtidas por Hyouma Sagara.
Há um número numeroso de encarnações que compartilham o nome verdadeiro de "Jack, o Estripador", porque o caso nunca foi resolvido. Por exemplo, Berserker é uma entidade completamente diferente de Assassin.
Fate/Grand Order
Londres: O Mundo da Morte na Cidade do Nevoeiro Demoníaco
Jack, o Estripador, é convocado na Singularidade "London" através do "Demonic Fog" ao redor de Londres. Ela atua no grupo que forma o "Projeto Demonic Fog", usando seu próprio nevoeiro para expandir o "Demonic Fog" e matando pessoas nas ruas.
Jack, o Estripador, emboscou Ritsuka Fujimaru e Mash Kyrielight logo depois que eles chegaram à Singularidade. Ela, no entanto, é repelida, fazendo com que ela escape. Jack aparece novamente junto com Paracelsus, um dos mentores por trás da Singularidade, na delegacia da Scotland Yard, a quem Jack massacra, para obter um item mágico. Eles são confrontados pelo partido do protagonista, com Paracelso enviando Jack para matá-los. No entanto, o grupo consegue derrotar Jack, que desaparece depois.
Miss Quase Semanal Santa Alter
Sentindo-se sozinho e confuso no Natal com Nursery Rhyme, Jack, o Estripador, encontra Júlio César. Eles o confundem com Papai Noel, mas ele pede que esperem pacientemente pelo verdadeiro Papai Noel, já que ele não é o verdadeiro Papai Noel. Antes de partir, César diz que elas são boas garotas e espere pacientemente até lá e que ele tentará fazer algo por elas no próximo ano, se não puderem fazer isso.
Mais tarde, Jack e Nursery Rhyme convocam Ritsuka Fujimaru e Santa Alter para o seu mundo interior. Os dois perguntam a Santa Alter se ela é Santa, à qual ela responde que é e pergunta o que são. Eles respondem que não sabem o que são e também não têm nomes. Depois que Nursery Rhyme diz que eles só podiam olhar para a cidade, Jack diz que eles gostariam de algo quente para o Natal. Ela então afirma que eles não são tão complicados quanto Santa Alter pensa que são depois que ela os chamou de espíritos não realizados de meninas enquanto ainda é inocente, mas ignorando o amor.
Jack e Nursery Rhyme lutam contra ela para provar que são dignos de receber presentes, uma vez que não escreveram uma carta para o Papai Noel. No entanto, eles são derrotados e desesperam-se por não haver Natal para nenhum deles. Para sua confusão, apesar de Santa Alter fingir ser excessivamente derrotado por eles, e dá uma infinidade de presentes de Natal. Eles lhe agradecem pelos presentes, mas Jack pede que não haja muitas outras crianças esperando por seus presentes também. Santa Alter responde para não se preocupar e que ela só tem mais uma parada, e diz que os presentes são os espólios de sua vitória e não seus presentes individuais reais. Ela então lhes dá seus presentes; sendo Asterios como uma rena, com quem eles alegremente correm enquanto ela assiste. Quando Santa Alter vai embora, Jack a impede de agradecê-la por conceder o desejo a ela e à Nursery Rhyme. Jack e Nursery Rhyme então contam a Santa Alter sobre seu encontro com o outro Papai Noel.
Salomon: O Grande Templo do Tempo
Jack está entre os Servidores da Singularidade de "Londres" para ajudar a Caldéia contra os Pilares dos Deuses Demônios.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.05.03 09:01 jessicansada Quero ler as teorias de quem acompanha esse subreddit e, assim como eu, acha esse caso revoltante e intrigante ao mesmo tempo.

Vou deixar minha teoria do que realmente aconteceu na Guaratuba de 1992, sei que isso já foi muito discutido por aqui, mas me peguei tão viciada nesse caso que não consigo parar kk
Também quero ler as teorias de vocês, por favor se puderem deixar suas opiniões vou adorar!
Então vamos lá: Ao meu ver, nos casos Leandro e Evandro não houve NENHUM assassinato, mas foram cometidos muitos outros crimes por parte de políticos, militares e outras autoridades da época. A verdadeira máfia por traz do rapto dos dois meninos (e talvez outras crianças) saiu impune pois as atenções foram totalmente desviadas pros 7 acusados... Vou tentar explicar em ordem, o que pode ter acontecido a partir do ano de 1992:
1 - Inicialmente os garotos foram vítimas de uma rede de tráfico infantil, esse negócio era muito lucrativo e era fácil driblasubornar as autoridades na época. Antes de cada rapto foi retirado do IML corpos de crianças da mesma idade pra serem plantados em determinado local afim de forjar todo um cenário de assassinato (pra investigação não cogitar se tratar de tráfico humano). Mas posteriormente o corpo que foi plantado para ser de Leandro foi constatado que era uma menina vestindo uma cueca, já no caso Evandro no local foi encontrado chumaço de seu cabelo e as chaves de casa próximo ao corpo (obviamente uma cena montada), seu cadáver maior e mais velho, além disso foi retirado mãos, pés e escalpo do cadáver pra dificultar exames de DNA que provariam que aquele NÃO era o Evandro.
2 - Com as duas crianças raptadas e levadas pro exterior e os cadáveres plantados, assim se inicia um dos casos mais polêmicos e controversos do Brasil
3 - Nesse cenário surge Diógenes e uma suposta testemunha ocular (que acredito q tenha sido convencido pelo mesmo a depor contra as Abagge), não era segredo que Diógenes tinha um “ranço” antigo dos Abagge, envolvendo família e política. Então diante do suposto corpo de Evandro encontrado Diógenes se aproveitou disso pra criar a teoria do Ritual de magia negra, pois ele sabia que Beatriz Abagge frequentava o centro Umbanda de Osvaldo (deixando claro aqui que NÃO acredito que Diógenes tenha algo a ver com o rapto dos meninos, “apenas” se aproveitou da situação pra se vingar da família Abagge e inflar seu ego, pois ele gostava da atenção recebida. Ou ele pode sim estar envolvido no sumiço, sei lá não ponho a mão no fogo por esse homem nunca!)
4 - Diante das acusações entram os militares, grupo Tigre que recebe confissões dos acusados através de torturas físicas e psicológicas. (Lembrando que a violência utilizada não era nada pessoal, foi feita a fim de obter confissões rápidas e fechar logo o caso pra sairem como os heróis, uma grande covardia repetida até nos dias de hoje)
5 - Os exames de DNA no corpo indicaram por 2 vezes que o cadáver não é Evandro.
Algo que fica muito óbvio pra mim é que Diógenes, com suas mágoas e preconceitos INDUZIU ao erro toda a investigação, de forma totalmente irresponsável. Com o passar do tempo já era tarde demais para o estado voltar atrás e corrigir as inúmeras falhas causadas por uma sucessão de erros. Nunca dariam o braço a torcer, sempre varrendo a sujeito pra debaixo do tapete.
Por fim, Acredito sinceramente que Evandro e Leandro estão vivos em algum lugar desse mundo, tendo sido arrancados cruelmente de suas famílias e marcando profundamente a vida de cada pessoa envolvida nesse caso construído em cima de tantas mentiras, corrupção, orgulho, busca por poder e vingança. Me dói o coração imaginar o sofrimento dos pais dessas crianças, que até nos dias de hoje buscam alguma resposta, pois sem sombra de dúvidas, esses são os ÚNICOS inocentes dessa história. São tão vítimas quanto Leandro e Evandro.
(Uma curiosidade é que em entrevista o pai de Leandro disse ter certeza que o filho está vivo e ainda nutre esperanças de encontrá-lo. Outra curiosidade é que muitas pessoas acreditam que os meninos foram vítimas de tráfico de órgãos, mas não creio nessa teoria.)
submitted by jessicansada to ProjetoHumanos [link] [comments]


2020.02.26 21:37 CommissionerTadpole Dicas em como conseguir trabalho no exterior? (Ou pelo menos como sair de uma família tóxica)

Bom dia, peço perdão em adiante pelo post extremamente longo. Esse thread é meio que uma mistura de uma pergunta com um desabafo.
Eu sou uma menina trans de 20 anos, convivendo em um ambiente não muito saudável à saúde mental; para resumir, meu pai apresenta condições bipolares e narcisistas, e morar com ele é comparável com dormir com uma bomba-relógio embaixo da cama, pois ele costuma explodir de raiva por motivos pequenos, e algumas vezes nem por minha culpa, simplesmente querendo descarregar o estresse do trabalho em cima de mim, e isso sem falar de vários casos de abuso psicológico que vêm acontecendo desde 2004. Também não ajuda que os meus pais são da moda antiga, onde a palavra deles é a Lei desde que eu esteja morando em baixo do teto deles, e falam que lívre arbítrio e independência não são um direito humano, mas sim um privilégio que eu não mereço ter.
A questão é que eles pegam isso e transformam em um catch-22; eu não tenho direito de conduzir minha própria vida pois eu ainda moro na casa deles, mas eu não posso sair da casa deles e ter meu próprio emprego pois eu não o direito de conduzir minha própria vida, já que eu ainda estou morando na casa deles... consegue ver o que isso implica? Eu já tenho qualificações para ter um trabalho que não seja de salário mínimo, pois eu fiz ensino médio em uma escola técnica federal (especificamente, um curso de informática, pois desde quando entrei já era meu sonho desenvolver meus próprios jogos), e logo sou formada como técnica de informática. Também sou fluente em inglês. Mas meu pai age como se eu não tivesse formação alguma, e sempre me ameaça a me pôr para trabalhar em um emprego de salário mínimo e péssimas condições (como pedreira, britadeira e outras do tipo) quando eu não cumpro as expectativas dele.
Basicamente, estou sendo forçada a fazer uma faculdade, queira eu ou não. Embora eu veja a faculdade como sendo algo importante, eu não consigo me ver indo bem em assuntos acadêmicos já que eu estou completamente gasta devido às pressões psicológicas que meu pai vêm pondo em mim (e o fato que minha mãe e o resto da minha família simplesmente ignoram o que acontece e dizem que eu só estou exagerando tudo), e também não ajuda o fato que fui praticamente roubada de uma oportunidade de ter ido a Portugal no fim do ano passado para meus pais conseguirem me por na faculdade, que só me fez sentir ainda mais presa e isolada. (Sem falar que meu pai simplesmente fica com muita raiva de mim quando eu menciono como fiquei triste sobre não poder ter ido para lá.)
Eu fiquei de saco cheio e cheguei ao meu auge essa semana, quando meu pai literalmente me ameaçou quando eu disse que não estava satisfeita com a faculdade e estava pensando em sair. Estive considerando pôr meu diploma de informática em uso e ver se eu conseguia algum emprego para me desgrudar da minha família (apesar de não ter gostado muito do curso, mas imagino que deve ter sido pelas mesmas condições que não estou gostando da minha faculdade: a depressão que sofro por causa da minha situação). Mas há vários problemas que me impedem de fazer isso diretamente.
Para início de conversa, eu francamente tenho que confessar que eu não faço idéia de como eu iria procurar e conseguir um emprego, ou até onde eu deveria começar à procurar, já que, em sua missão de me deixar perpetuamente dependente deles, meus pais nunca me ensinaram como fazer isso. Não é exagero; desde o ensino médio, quando tive que fazer estágio, meu pai me proibiu de fazer estágio em uma companhia - seja remunerado ou não - e me obrigou a fazer estágio dentro da minha própria escola, mesmo com os professores e conselheiros da escola avisando ele que não recomendavam fazer isso já que atrapalharia minhas oportunidades de conseguir um emprego no futuro devido a eu não ter um portifólio decente. (De fato, eu lembro que, no meu aniversário de 15 anos, quando comentei sobre a possibilidade de eu ter meu próprio trabalho e minha própria casa, meu pai riu da minha cara e disse que nunca iria deixar eu me mudar para fora da casa dele.)
Literalmente a única coisa que eu sei é que é possível agendar a carteira de trabalho online e que não custa dinheiro fazer isso (sendo que meus pais me disseram o oposto), mas também não sei direito como funciona o processo. Também ouvi falar sobre o LinkedIn, mas não conheço muito a respeito.
O outro problema é que, francamente, eu gostaria muito de conseguir uma oportunidade de emprego no exterior. (Preferencialmente em Portugal ou na Irlanda, já que gosto desses dois países.) Sei que isso torna as coisas muito mais difíceis e que eu deveria me concentrar mais em me safar da minha situação atual, mas há varios motivos por trás desse desejo meu... e dentre todos eles, dois deles se destacam:
• Salário. Não há segredo que a economia daqui está em um péssimo estado, e francamente, com eu só tendo um diploma de ensino médio e não tendo saúde mental para conseguir terminar a faculdade ou estudar para passar em um concurso público enquanto ainda estiver nessa situação, eu tenho medo se só conseguir um trabalho com salário mínimo que torne impossível eu ter dinheiro o suficiente para comprar ou alugar minha própria casa, ou que me acabe me forçando a viver perpetuamente na margem da pobreza. Claro, seria melhor que viver sofrendo de abuso doméstico, mas nessa situação, seria essencialmente trocando um mal pelo outro. Na Europa, não só o Euro está em uma situação muito melhor que o Real (que significa que até salário mínimo lá vai render mais do que o salário mínimo daqui), mas Portugal e Irlanda estão precisando muito de gente na área de informática, então seria muito mais fácil eu ter um emprego que pague bem lá comparado com aqui. (Sem falar que eu quero muito ter um Nintendo Switch e um 3DS/2DS, e ambos custam uma fortuna aqui no Brasil sendo que são muito mais baratos lá na Europa)
• Segurança. Tem o argumento óbvio de que lá tem muito menos crimes que aqui no Brasil, mas o que mais me atrai é a respeito de crimes de ódio. Como eu mencionei lá em cima, eu sou trans. Não fiz a transição ainda pois meus pais são conservadores e jamais iriam aceitar isso, mas caso eu me mudasse para fora da casa deles mas ainda continuasse morando no Brasil, eu ainda não iria poder fazer a transição pois não iria me sentir segura aqui, dentre todos os inúmeros crimes de ódio contra pessoas trans que vêm acontecendo aqui. (Sem falar que eu não arriscaria a possibilidade de acabar sendo demitida caso meu hipotético chefe seja uma pessoa preconceituosa.) Além de finalmente poder escapar dos abusos psicológicos e emocionais que meus pais vêm fazendo acima de mim, um dos maiores desejos que eu tenho à respeito de cair fora daqui é poder finalmente assumir o corpo e o nome que eu quero ter, algo que eu simplesmente não consigo me ver sendo capaz de conseguir se eu continuar aqui.
Além desses dois motivos principais, há vários outros motivos que me fazem querer me mudar para o exterior, como por exemplo, dificultar os meus pais de irem atrás de mim para ficar me importunando, e também o fato de lá ter um clima muito mais frio que o nosso (eu ODEIO o calor e sou uma masoquista em relação ao frio).
Mas enfim, o problema é que eu não sei se conseguir um trabalho nesses dois países seria fácil, ou até possível na minha situação atual. Eu não tenho passaporte, e nem um visto. (Eu ouvi falar que Portugal criou um visto específicamente para atrair brasileiros formados na área de informática, mas eu não sei como funciona o processo para obter esse visto, ou se inclui pessoas formadas no ensino médio-técnico ou apenas no nível superior.) Não sei se o processo para conseguir um emprego no exterior pode ser feito online mesmo não estando nesses países, ou se eu precisaria ir para lá primeiro. Não há muita informação à respeito disso.
Normalmente, o caminho lógico seria tentar conseguir um trabalho aqui primeiro para me livrar da minha família, e então juntar dinheiro para conseguir comprar um passaporte e pagar uma passagem de avião sem ter que depender de doações online. Mas, novamente, eu não sei se possuo uma qualificação boa o suficiente para conseguir um trabalho na área que pague o suficiente para eu conseguir sobreviver (seja aqui no Brasil, ou lá na Europa), e não muda o fato de que não sei como funciona o processo de aplicar para conseguir um emprego. (Novamente, tanto aqui quanto lá.)
Por acaso vocês poderiam me dar algumas dicas e esclarecimentos sobre o que eu devo fazer, tanto para conseguir um trabalho aqui quanto para conseguir me mudar para o exterior? (inclusive se dá para eu, por exemplo, conseguir emprego em uma empresa multinacional e depois pedir transferência para uma filial em outro país)
submitted by CommissionerTadpole to brasil [link] [comments]


2020.02.11 20:38 Charles_Bronsonaro O "Politicamente correto" é apenas pretexto para censura e perseguição política e deve ser combatido a todo custo

Pra quem ainda não entendeu, o rótulo "discurso de ódio" é apenas uma justificativa para censura e para perseguir e punir você que tem opinião diferente.

No Canadá e na Inglaterra, já existe o conceito de "não-crime": policiais recebem instrução desde a academia de investigar você por um não-crime.

http://www.report-it.org.uk/files/hate_crime_operational_guidance.pdf
Item 6.3
"Where any person, including police personnel, reports a hate incident which would not be the primary responsibility of another agency, it must be recorded regardless of whether or not they are the victim, and irrespective of whether there is any evidence to identify the hate element."

O que isso significa é que diante de qualquer acusação de ódio que não seja considerado crime - não importando que a potencial vítima não tenha reclamado e mesmo se não houver qualquer evidência de que realmente aconteceu algo - a polícia é obrigada a registrar na ficha do acusado.

Isso é usado para inflar as estatísticas de "crime de ódio" mesmo sendo um "não-crime" do qual ninguém deu evidência.

Exemplo: um sujeito chamado Harry Miller reencaminhou no Twitter um poema que algumas pessoas acharam que era "transfóbico". Alguém chamou a polícia e ele foi investigado por causa do retweet mesmo sem ser o autor do poema. Ele perguntou que lei ele havia violado e a polícia disse que nenhuma, que era um incidente de não-crime e que a polícia tinha que averiguar o pensamento de Harry.

...averiguar o pensamento...

Quantas pessoas já foram presas por causa desse tipo de coerção policial?
Na Inglaterra, 3 mil pessoas já foram presas por comentários que elas postaram na internet. Isso não inclui os outros milhares de incidentes "não-crimes" pelos quais várias outras pessoas foram "averiguadas" e registradas.

É claro que alguns desses comentários postados foram horríveis, racistas, coisas que membros de torcidas de futebol gritam uns para os outros.

Mas boa parte dos comentários são simples piadas. Teve um sujeito que foi preso por ter postado uma piada sobre a Madeleine McCann (uma menina que desapareceu em 2007 e foi tema de um documentário do Netflix em 2019) que ele copiou e colou de algum site na internet. Ficou preso 3 meses por causa de uma piada e agora ficou registrado como criminoso.

Um outro sujeito chamado Marcus Macon publicou um vídeo no YouTube com um filhote de cachorro treinado pra fazer uma saudação nazista quando ouvisse Zieg Heil. É uma piada totalmente idiota e aquilo fora do contexto é algo ofensivo, mas a piada é justamente baseada no fato do nazismo ser a pior coisa do mundo e aquele cachorrinho fofo estava prestando continência.

Cerca de 3 milhões de pessoas viram o vídeo antes do YouTube tirar do ar e nenhuma reclamou. Mas a polícia entrou em contato com o Scottish Council of Jewish Communities pra perguntar se eles acharam ofensivo e é claro que eles disseram que sim. Então a polícia usou aquilo pra meter um processo no sujeito.

Depois de 2 anos investigando, e apesar da participação de uma unidade de inteligência e cibercrime, não acharam um único tweet ou email ligando ele a algum grupo fascista ou extremista, mas o julgaram culpado e lhe meteram uma multa de 800 libras e mancharam a ficha dele pra sempre apenas por causa de uma piada idiota.

Esse tipo de repressão já existe até no setor privado. Um outro sujeito foi a uma entrevista e descobriu depois que podia fazer requerimento para obter os dados investigados pela empresa. Ele recebeu 350 páginas contendo todos os tweets que ele deu like e que constavam a palavra "fuck".

https://twitter.com/kmlefranc

Um dos tweets que ele deu like e foi considerado ofensivo o suficiente para ser listado foi um vídeo de uma criancinha correndo com uma garrafa de vodka na mão saindo do supermercado e a mãe correndo atrás dizendo "não, não, me dá aqui, devolve!".

Casos assim em que não há nada ofensivo servem para deixar as pessoas com medo e assim controlá-las, controlar seu pensamento. Até mesmo dar like num tweet é motivo para punições e boicotes, um like que pode acontecer até por acidente.

Os grupos que promovem essa perseguição abusam das palavras "ódio" e "intolerância" mas eles mesmos são os que odeiam e não toleram opiniões diversas. Quem mais acusa os outros de "ódio" e "intolerância" são aqueles que mais odeiam e menos toleram os outros.

Que tal isso: Fulano não concorda com você em nada e por causa disso você é que é o "fascista intolerante com discurso de ódio"?
E esse fulano pode contratar uma empresa que vai revirar sua vida online pra catar algum like, alguma piada, qualquer coisa que possa remotamente ser rotulada de "discurso de ódio"?

Provavelmente não há nenhuma pessoa a salva disso no planeta inteiro que não tenha algum comentário comprometedor em privado que possa ser usado contra ela.
submitted by Charles_Bronsonaro to brasilivre [link] [comments]


2020.01.13 12:30 AntonioMachado [2012] Oliver James - Como desenvolver a inteligência emocional

submitted by AntonioMachado to investigate_this [link] [comments]


2019.10.17 16:31 euamocachorros79 Augustdorf - 2ª Parte

Gomes fora nomeado secretário de trânsito logo após o escândalo das multas apagadas do sistema explodir. A imprensa deleitou-se e revolveu cada detalhe do esquema em que veículos e condutores das famílias abastadas de Augustdorf, após pagamento de uma taxa simbólica direto nas mãos do secretário anterior, ficavam livres de pontos na carteira ou de registro junto ao órgão de trânsito estadual. Era como se aquelas infrações jamais existissem. Entretanto, o mentor do plano continuava uma incógnita. Tudo apontava na direção de Johnny, o atual prefeito, mas nenhuma prova foi contundente o suficiente para convencer o Ministério Público ou o juiz da comarca a condená-lo. O ex-secretário não tivera a mesma sorte e penava uma sentença pesada na prisão regional.
Determinado a executar seu trabalho sem chamar atenção para si, Gomes era o nome perfeito para dar continuidade ao serviço da pasta. E ele fazia exatamente isso, sem alarde ou atos políticos. Mas também era sua responsabilidade se algo desse errado na intrincada rede de vias que alimentava os cofres da cidade. Em Augustdorf, lixo era dinheiro. Muito dinheiro.
Antes mesmo de ligar para o prefeito, já chamara o corpo de bombeiros voluntários da cidade, o batalhão da polícia rodoviária estadual e o hospital, no intuito de descobrir se o estrago era tão grande quanto pensava. As notícias não poderiam ser piores. Quatro caminhões lotados de lixo urbano das cidades vizinhas colidiram em sequência, às portas de entrada das minas, abalroando um veículo de passeio e provocando o óbito do condutor e outros dois passageiros. A burocracia envolvida num acidente dessas dimensões era um pesadelo com caminhões de diferentes municípios, seguradoras distintas, em uma estrada estadual de grande movimento. Cada prefeitura exigindo laudos periciais antes da remoção dos caminhões. Respirou fundo e ligou para o prefeito.

Joel acorda. Suas mãos tremem e suas pernas estão dormentes. A respiração ainda é rasa. A cidade dorme profundamente num silêncio sepulcral. As lâmpadas de vapor de mercúrio batalham um luta inglória contra a escuridão e a chuva incessante. Como é que faz tanto frio por aqui? Pensa Joel de si para si. A dor no lado direito do tronco agora é apenas um desconforto. Consegue levantar-se e vasculhar o carro com calma. Ele busca conforto na racionalização, Sophia é uma menina inteligente e provavelmente saiu correndo para buscar ajuda ao vê-lo estirado ao chão. Protegendo os olhos da chuva com as mãos, tenta enxergar se os prédios próximos apresentam alguma movimentação. Sem sucesso. Põe-se a caminhar e afasta-se do veículo em passos errantes.
-SOPHIA! Ele grita sem obter resposta. Nem mesmo eco. Claramente ele não está em uma zona residencial, as construções se assemelham muito à edificações industriais, o que esclareceria a ausência de pessoas caminhando e até mesmo de trânsito à noite. Mas então o que explicaria apenas o som de seus passos nas poças e o tambor de seu coração nos ouvidos?
Ele pensa enquanto caminha, imagina cenários em que encontra sua filhinha dentro de instantes, acompanhada das autoridades e ajuda médica. E também antecipa a dor de nunca mais encontrá-la. Esse último pensamento é descartado assim que identifica uma placa em neon ao longe. Um bar de beira de estrada parece aberto. Um lugar apara aquecer o corpo e a alma. E quem sabe um telefone que funcione. O TELEFONE! Ele apalpa os bolsos das calças até encontrar o volume familiar no bolso dianteiro esquerdo. Pressiona o botão na lateral e espera pela tela de inicialização aparecer com o sorriso desenvolto da filha junto dele, numa selfie inesperada de apenas alguns dias atrás.
Seus olhos correm até as barras de sinal. Vazias.
submitted by euamocachorros79 to EscritoresBrasil [link] [comments]


2019.09.22 00:34 taish Minha experiência com SRS, parte 1: escolher um cirurgião

Essa é a parte 1 de ?, sem periodicidade definida. #2: A cirurgia e os dias no hospital #3: O primeiro mês de recuperação
Este, como qualquer relato, se refere à minha experiência, com o meu cirurgião, nas minhas circunstâncias de saúde, anatomia, etc, e não é de nenhuma forma uma narrativa universal. Não custa lembrar: aversão à genitália natal ou não, desejo de SRS ou não, nada disso define ser trans.
Pra mim essa é uma das partes mais crueis da experiência trans: que a transição médica não seja estabelecida, equilibrada e disponível universalmente. Terapia hormonal? Terrível achar algum endo que acompanhe. E um que saiba o que tá fazendo? Tão difícil que cabe à gente saber mais de HRT do que eles. E não se trata de apontar dedos aos profissionais; mesmo se seguissem os protocolos mais decentes, ainda assim estaríamos tateando e procurando apoio em experiências coletadas na comunidade, porque a gente simplesmente não sabe. Não há estudos nem perto do suficiente pra apontar a melhor forma de fazer substituição hormonal em pessoas trans, então cada qual escolhe a abordagem preferida e espera ter feito o melhor.
Cirurgia transgenital? E essa então. Que bom que existe, puxa vida; desde os anos 1950 inclusive, e cuja técnica vem sendo aprimorada com o tempo. Mas as boas notícias eram essas. É uma cirurgia inacessível à maioria das pessoas trans, seja pela disponibilidade/espera do SUS, seja pelo preço de uma cirurgia particular (que se parar pra pensar, nem é tão cara; 40-50 mil é o que pedem por um carro. A diferença é que o veículo pode ser financiado em 365 vezes, diferente da cirurgia que salva e melhora a qualidade de vida de uma população.) E mesmo quando se pode pagar, existe a complexidade do quem. A quem entregar a chance singular de conquistar uma vida mais confortável no próprio corpo; o fato de que alguns resultados são melhores do que outros, seja do ponto de vista médico/ prático/ funcional, seja do estético, e que isso pode depender de dinheiro, é uma conclusão muito dolorida pra se chegar. E quem espera pelo SUS, nem (a ilusão?) da escolha tem.
Passei dois anos e meio na fila do no SUS. No convênio com o programa do hospital, a União paga duas cirurgias por mês, uma pra homens, outra pra mulheres; e na última vez que tive os dados, havia pouco mais de 60 mulheres aptas a operar na minha frente. Quer dizer, por baixo uns cinco anos. (No centro do país, passa de dez.) Essa demora era minha primeira angústia.
A segunda, e maior, era a falta de informação sobre a técnica usada na cirurgia. Nos encontros quinzenais, participavam psicólogos, psiquiatras e a enfermeira responsável pelo pós-cirúrgico, mas não tínhamos ninguém da equipe de urologia, responsável pela operação. Ficávamos sabendo nos corredores sobre as complicações dessa e daquela, sobre como não fazem pequenos lábios, nem fazem o capuz do clitóris, e como são apenas 2 noites no hospital, e que começaram a liberar as meninas no dia seguinte à cirurgia... E eu implodindo de ansiedade. Vendo colegas de grupo chegando com o texto "não me importa o que façam, o que eu preciso é tirar isso do meio das pernas", vendo os responsáveis por operar atendendo a esse mantra, e eu enlouquecendo brigando pra que tivessemos a melhor cirurgia possível, questionando a contratação de um cirurgião plástico que participe da cirurgia, como previsto na portaria do SUS. Depois de reivindicações organizadas e abaixo-assinados, houve encontros com a equipe de Urologia. Foram dois, mas o cirurgião responsável faltou a um deles, e só falamos com residentes. Não vou narrar aqui minhas impressões sobre os encontros, mas basta dizer que saí completamente abalada, e pior do que havia chegado, de ambos.
Foi um período péssimo: estar entre fazer uma cirurgia que eu considerava insuficiente pra mim, e na qual eu não tinha qualquer confiança, e desistir da cirurgia e manter o que me fazia infeliz e impedia qualquer vida romântica ou sexual. Que escolha, né? E depois eu me surpreendo por ter crises de pânico... Me sentia sendo puxada à força pra mentalidade "não importa o que fizerem".
(E então, será que importa? Pra ser justa: vi meninas lá felicíssimas com os resultados, com boas recuperações e funcionalidade /sensibilidade completa. Vi resultados muito bonitos; mas também vi fotos que me deixaram chocada, e conheci histórias de terror. Dia desses li um artigo no SciELO com estatísticas do ambulatório: em pesquisa com mais de 180 mulheres, aprox. 20% teve complicações. Ainda assim, o número de respondentes que se arrependeu da cirurgia foi zero. Dá o que pensar, né? Disforia não é bolinho. Será que importa, afinal de contas, quem vai fazer o procedimento em mim? Se eu vou ter pequenos lábios ou não? Eu me fiz muito essas perguntas nesse meio tempo.)
A imagem mental projetada no futuro acabou me apontando caminho. Ao pensar no dia da cirurgia a qual estava na fila, no momento de estar sendo levada pro centro cirúrgico, eu me via ansiosa, preocupada, com medo, e na melhor das hipóteses tendo que me contentar com a opção que me foi possível obter. Ao pensar numa cirurgia com um profissional que eu escolhi, me via acordando da anestesia repleta de esperança, alívio e alegria. Essa imagem foi minha guia até o dia da operação; quando ficava ansiosa sobre algum motivo, me perguntava como estaria me sentindo ao acordar da anestesia. Enquanto a resposta fosse aquele sentimento bom e quentinho e reconfortante me invadindo, eu sabia que tava tudo bem.
Então eu fui demitida do emprego onde estive por muitos e muitos anos, e apesar do terror que eu viveria pelos próximos seis meses, pude sacar um FGTS justo pra fazer a cirurgia, donde me surgiu a oportunidade que até então era totalmente nula.
Nesse período de expectativa pela cirurgia via saúde pública, explorei longa e dolorosamente a ideia de ser operada por uma equipe sem qualquer empatia, contato ou humanidade aparentes, tendo apenas uma forçada fé cega na eficiência técnica ao realizar o procedimento. Esse "trauma" fez com que o critério número um, e minha prioridade maior na escolha de um cirurgião particular, fosse a confiança. Eu precisava confiar que tava entregando minha vida na mão de alguém que se importa.
Sendo assim meu pensamento imediatamente se voltou às cirurgiãs americanas. Mulheres são mais empáticas, e algumas das melhores inclusive são trans. No entanto os preços lá são proibitivos pra minha realidade (e a de quase todos), além de filas de espera de três a quatro anos. O destino sempre a considerar é Tailândia; restringindo a Suporn e Chett, que tem vastíssima experiência, além de ótimos resultados. Mas não me sentia bem com a ideia de ser apenas mais uma estrangeira passando por ali, me achando meio anônima, e incomodava que, caso necessário, meu cirurgiâo estaria do outro lado do globo. Acho que são uma alternativa absolutamente válida, até por estarem entre os melhores do mundo; mas pessoalmente eu achei que não teria a tranquilidade e o cuidado que julgava necessitar psicologicamente.
(Porque não adianta: fazer uma escolha é eleger prioridades. Isso é parte daquela crueldade, também.)
Além disso, com o dólar pirando na batatinha, a função thai ficaria bem acima do que eu tinha. Isso significou que meu cirurgião estaria ou no Brasil, ou na Argentina. Fiz um levantamento, toda pesquisa que pude, e consultei com dois: o Fidalgo, da Argentina, e o Márcio aqui do Brasil. Do primeiro tive dois relatos em primeira mão, vi fotos, e ouvi só coisas ótimas. O Fidalgo é o 'pai' da SRS por lá e tem décadas de experiência. No trato, é um senhor querido, bonachão, tranquilo e simpático; e o preço que pedia era o mais baixo que encontrei. Já o Márcio, além de próximo geograficamente, não faz inversão peniana tradicional; oferece uma técnica que usa mucosa jejunal pra fazer o canal da vagina, que sempre me pareceu muito boa opção, por vários motivos. E me marcou muito que na consulta ele disse que usava a técnica que mais se aproximava "do que deveria ter sido desde nascença". Acho que cada pessoa tem seus "botõezinhos" e isso acionou o meu; é o que eu queria ouvir, a compreensão -- e o compromisso -- do porque eu tô fazendo essa cirurgia. Era o oposto do que eu tinha originalmente e bem o que procurava.
Por técnica e ethos, optei pelo Márcio. Não vi nenhuma imagem de resultado dele; sei que pra muitas isso é um absurdo, mas todo cirurgião diz que resultado depende do material original e da cicatrização, e eu boto fé -- já vi resultados de todos os tipos por aí, incluindo variações do mesmo profissional. Claro que é inegável que cada um tem sua técnica e estilo, e claro que a estética me preocupa, mas essa não era a prioridade. No fim das contas, acho que um pouco do "qualquer coisa desde que tirem o original" grudou em mim; eu estava ok em aceitar o que viesse, desde que fosse com alguém em quem eu confiasse que entende a minha necessidade, e faria o seu melhor. (E é evidente que isso é o que se espera de todo profissional, principalmente um médico, e especialmente um particular, mas vai vendo.)
O resto, bueno, é história em andamento. São ainda apenas oito semanas; vou esperar o lento desenrolar do desinchar pra fazer uma avaliação mais geral, mas estou satisfeita com minha escolha até agora, e a faria novamente (e talvez vá fazê-la em breve). Não posso dizer que acordei "da anestesia repleta de esperança, alívio e alegria" como desejava, porque acordar da anestesia é uma neblina mental que nussssa -- mas esse é o sentimento que vem comigo desde que despertei direito :) Em que pese essa ansiedade da longa fase de recuperação (em que vou indo muito bem obrigada), que exige psicologicamente pelas esperas e cicatrizações e restrições. Não vejo a hora de estar pronta, mas como me lembra minha analista, pra quem esperou uma vida, o que são mais uns meses?
Que fique claro: a mensagem desse post não é "escolha X", mas "escolha o cirurgião certo pra você". É preciso elencar prioridades, e ir onde o desejo e a confiança mandam. Esse processo é cheio de variáveis que não podem ser controladas, então pra não pirar, vale mesmo ir onde o coração manda. O que é preciso é estar confortável pra encarar o processo, porque a gente sabe como o psicológico interfere no físico, principalmente numa recuperação como essa.
E muita torcida e muita luta pra que toda pessoa trans no Brasil possa fazer a cirurgia transgenital se assim quiseprecisar, e escolhendo com quem. O processo transexualizador do SUS foi um importante avanço social conquistado, mas como está posto, é duramente insuficiente, e até antiético ao forçar um cirurgião específico (ou sua equipe de residentes). Ressarcir as pessoas trans que podem complementar o valor cedido pelo SUS (aqui 28-32 mil, fontes não-oficiais) daria mais agência à parcela que tem como compor o custo; diminuiria as filas de espera; geraria uma saudável competição que potencialmente pode baixar valores e incentivar o desenvolvimento técnico. Acredito que veremos sentenças judiciais favoráveis a esse entendimento da questão, à medida em que mais e mais pessoas denunciarem na justiça as esperas absurdas que se interpõem à normalidade e à recuperação do potencial de suas vidas -- direito garantido pelo próprio processo transexualizador do SUS.
submitted by taish to transbr [link] [comments]


2019.09.03 21:57 renaum 78 livros em português grátis em 03/09

  1. AISLAN DLANO - 12 DISCIPULOS
  2. MEI Na Internet - 5 formas simples de proteger seu site WordPress: Como Criar Sites Rentáveis e de Alta Conversão Usando o Wordpress (Sucesso Com WordPress Livro 0)
  3. Danilo H. Gomes - A Arte de Saber Se Relacionar: Aprenda a se relacionar de modo saudável
  4. Carlos Vieira - A bela Viviane
  5. Francisco Barroso - A ESCRITURA (Contos Kafkianos Livro 1)
  6. André Rodrigues - A importância de limpar a casa e jogar fora coisas velhas
  7. E P Reis - A Luz de um Anjo: Conto
  8. Elizabeth Gaskell - A Mulher Cinza
  9. S. C. - A Secretária
  10. Mc Krause, Stanford - A vida no império asteca
  11. Geraldo Paiva - A vida nos escombros (Fim da 1ª Parte - Cap. VI a VIII)
  12. Luana Oliveira - Amor Verdadeiro
  13. Lady Maria e Jordan Rocha - Amores que batem a porta
  14. Márcia Lima - AMORES QUE CURAM (Contos de Amor e Outras Drogas Livro 1)
  15. mauro judice - Androides Não Choram
  16. Cris Vazquez - Anfíbia: Conto da Antologia Onisciente Contemporâneo
  17. REIS DE ARRUDA, RODRIGO - ANTI-CAÇADOR
  18. Nnama Jr, Samuel - Apocalipse Zumbi: A Queda do Homem e a Ascensão dos Mortos- (Mundo dos Mortos-vivos Livro 1)
  19. Anderson Mendonça - As aventuras de Ratazana Joe
  20. G.H Cordero - As Relíquias dos deuses: O regresso do Mal
  21. Gomez Bezerra, Bia - Bela e Insaciável: Conto Hot
  22. Editora Saúde - Bronquite : O que você precisa saber sobre essa doença respiratória
  23. Tiago Júlio Martins - Cabeça Bipolar
  24. Seu Relacionamento Melhor - Casamento Feliz: Como Ser Feliz no Casamento
  25. FIEL FILHO - CIDADEZINHA QUALQUER: UMA PEQUENA E GRANDE CIDADE
  26. Xiko Acis - Código de Conduta e Princípios Éticos: Criando Organizações: Ricas, Éticas, Inspiradoras e Perenes
  27. Nico Bellick - COMO APRENDER FRANCÊS EM ATÉ 6 MESES: O guia definitivo
  28. Paula da Silva, Renato - COMO SOBREVIVER AO SEU MÉDICO: DESCUBRA AS PRINCIPAIS MENTIRAS CONTADAS POR SEU MÉDICO E POR QUE ELE PRECISA TE ENGANAR PARA SOBREVIVER
  29. Dr. Bila - Como usar a masturbação para obter o equilíbrio da sexualidade
  30. Lucas Litrento - Concurso Paul Rabbit Ano 1: Fanfics do Podcast 30:MIN
  31. Furtado Alencar, Dom Paulo - Crônicas do Dom
  32. Geraldo Paiva - Devaneios de um adicto (Vozes que a noite sepultou Livro 4)
  33. Leddy Harper - Em Silêncio
  34. Paolo Libano - Energia & Sucesso
  35. Ana Hansen - Enzo - Implacável
  36. Caroline Helena - Guerra de Emoções
  37. Ruiz Garcia, Vanessa - Guia: Como Começar a Trabalhar Online: Aprenda e Aplique Agora Os 4 Passos Para Trabalhar Online Da Forma Correta
  38. Carlos Vieira - Hella
  39. Linn Tavares - Henrique, o Governador
  40. César Costa - Histórias de terror da vida contemporânea (Contos de Nils Livro 1)
  41. Caroline Cardoso - Idas e Vidas: A força que habita na nossa fraqueza
  42. Caroline Helena - Jogando com o Amor
  43. Souza Ragassi, Mariângela - Não julgarás: Valeriana e outras sete
  44. Aryanne Soares - Noções Básicas de Desenvolvimento de Roteiro
  45. Alana Gabriela - Noite outra vez: Até que as estrelas apareçam ou que seja dia
  46. Francisco Barroso - O GANHADOR DA LOTERIA
  47. AISLAN DLANO - O Inspirador de Pincel
  48. TAD SUZUKI - O livro ilustrado para um adulto aflito (Segunda Edição)
  49. AISLAN DLANO - O LIVRO MAIS LIDO DE TODOS OS TEMPOS
  50. Ramiro Alves - O livro sacro-macabro
  51. Vilchez Caceda, Arquimedes - O Magnésio: Experimentando um copo da fonte da eterna juventude
  52. Francisco Barroso - O QUINTO CAVALEIRO
  53. Francisco Barroso - O Rei Digno
  54. Francisco Barroso - O SEGREDO DA FELICIDADE
  55. Danilo H. Gomes - O Segredo do Carisma: Ser carismático não é tão difícil quanto parece
  56. James Dallacosta - O senhor da fronteira do Leste
  57. Joas Antonio - Offensive Security Wireless Professional Fundamentals
  58. Ricardo Bizeli - Os Mitos da Obesidade: O que você NÃO sabia sobre o nosso peso!
  59. Geraldo Paiva - Poesia completa Vol. II: Crónicas do efémero seguido de Devaneios de um adicto (Obra poética completa Livro 2)
  60. Editora Você Melhor - Procrastinação: O Que É Procrastinação e Como Se Motivar
  61. Tatiana Gonçalves - Quem nunca viveu?
  62. Vandi Dogado - Quim Nunca Esteve Lá: causos populares
  63. Letícia Ferreira - Rebeldia perfeita (Os Ackermanns Livro 2)
  64. Luigi Savagnone - Rebeliões Perigosas
  65. Nnama Jr, Samuel - Renda Passive: Idéias 2 Manuscritos Incluídos, Renda Passiva e Como Ganhar Dinheiro Online. Métodos Comprovados Para Iniciar um Negócio On-line e Adquirir Liberdade Financeira
  66. de Souza, Michela - Se o PARA SEMPRE não for suficiente: Livro 2
  67. Pedro Victor Montenegro - Sob Invasão
  68. Alison Mingot - Somente por Amor - Quando a menina terna e humilde se apaixona por um poderoso milionário, só uma coisa pode acontecer
  69. L. de Andrade, Ronaldo - Sonhadores: Chamas de Sentimentos
  70. Abril Olguin - Te amar sem tempo
  71. Danilo H. Gomes - Tudo Depende de Como Você Vê: É no olhar que tudo começa
  72. A. N. SMITH - Um cara chamado John: Um romance arrebatador!
  73. de Faria, Jose Romero Oliveira - Uma ponte para a liberdade
  74. Danilo H. Gomes - Vença Seus Pensamentos ou Eles Vencerão Você: Aprenda como educar sua mente
  75. Thomas Matiolli Machado - Vença sua mente: Um guia prático sobre a autossabotagem (Série: Vença! Livro 1)
  76. Fabio Siqueira - Vetor Profissional: Para Líderes e Empreendedores
  77. Davi Frazão - Vivos ou Mortos Temos História: O Mensageiro Do Futuro
  78. Jay M Londo - Wartorn Love
submitted by renaum to FicouGratis [link] [comments]


2018.10.26 02:34 solitariotario Desabafo sem pé nem cabeça de um solitário otário

Quando criança e por boa parte da minha adolescência, eu era o patinho feio tímido e sem graça. Até hoje isso não mudou muito, tirando a parte de ser tímido. Só gostei (de verdade) de duas meninas na minha vida. A primeira, no fundamental, riu e disse que nós éramos apenas amigos. A segunda, já no ensino médio, disse que eu não gostava e que estava apenas atraído, isso tudo acompanhado de textões como lições de moral sobre o que é gostar. Eu era um adolescente felizinho, mas depois disso tudo eu acho que engoli uma redpill, e depois disso evitei gostar de qualquer uma.
Hoje, tô na faculdade, no segundo ano. Nunca mais gostei de ninguém e até hoje nunca nem beijei ninguém. Isso nunca me incomodou a ponto de instalar algum app ou puxar conversa no Instagram, Facebook, etc, coisas que nunca fiz. O negócio é que tá começando a doer essa solidão. Eu tenho uma família presente que me ama, amigos e mesmo assim me sinto sozinho, e sozinho para a vida toda. Parece que é uma condição fora do meu alcance de mudança, e não é como se eu estivesse medindo esforços pra mudar isso, talvez porque eu não queira mesmo. Mas como posso reclamar de algo que eu não movo um dedo pra mudar? E talvez não seja tão ruim, aguentei 20 anos, por que não aguentaria mais uns 20, 30, 40, até que eu vá dessa pra melhor?
O que mais me assombra é saber que a maioria esmagadora das mulheres da minha idade são mil vezes mais experientes que eu nesse quesito amoroso, ou seja, é igual aquele esquema de "precisa-se ter experiência pra obter experiência".
Eu sei que não é assim, mas chego a me ver como anormal. E não é nem isso o maior problema, é a solidão. E toda vez que minha mãe comenta algo do tipo "ah mas quando você ter filhos bla bla" "ah mas quando sua namorada bla bla" "ah mas quando sua esposa bla bla" eu morro um pouco por dentro, por saber que eu posso não dar essa alegria pra ela, de ter uma nora, de ter um neto ou uma neta. E ela com certeza já notou que eu sou falho nesse ponto, mas insiste em dar essas hints de esperança pra mim. É foda... Valeu, só queria tirar isso do meu peito.
submitted by solitariotario to desabafos [link] [comments]


2018.09.07 06:31 macsleao Confusão com um grupo de pessoas agitadas, fiquei sendo eu o errado, segundo a polícia.

Olá,

Sou morador de Coimbra e hoje aconteceu-me o sucedido. Fui sozinho ao cinema assistir um filme de terror ao Fórum, só por que sim, uma vez lá, já depois de o filme estar a correr a uns bons 15 minutos, um grupo de raparigas, que suponho tenham entre os 12-17 anos, acompanhadas da mãe e mais alguns adultos chegaram, eram bem barulhentos e falavam como se não houvesse mais ninguém na sala além deles, a sala estava cheia. Durante o filme, precisei, ir duas vezes reclamar para o gerente, sendo que, no clímax do filme, as raparigas (novas) estavam a falar muito alto, e a mandar calar as outras pessoas que as mandavam calar...
Tendo o filme acabado, esta "manada" de gente me cercou e começou a proferir insultos a minha pessoa e a minha nacionalidade (Brasileira), sendo que o homem mais velho tentou me intimidar, chegando mais perto de mim e me olhando com cara de cachorro sem dono, não me intimidei e, como estavam a me chingar, resolvi sacar o telefone e começar a gravar tais injúrias, não tive tempo para tal, o homem que tentou me intimidar antes me agarrou pelos braços e começou a me arrastar, enquanto a mulher mais velha, mãe de alguma das raparigas, me rasgou o casaco, e o senhor que me estava a segurar me estava a empurrar e a apertar meus pulsos, me exaltei e fiz de tudo para que ele me soltasse, no entanto, em momento nenhum o agredi, neste tempo todo, a mulher mais velha esteve a tentar me bater e a tomar o telefone da minha mão.
Uma vez que os seguranças chegaram para me separar, me seguraram pelos braços e me escoltaram para um local seguro, neste meio tempo, o homem "intimidador" me acertou um soco no lábio. As mulheres mais velhas deste grupo começaram a dizer que sou pedófilo por estar a gravar um vídeo de meninas menores (Não gravei vídeo delas, nenhum rosto apareceu, irei explicar este ponto mais tarde).
A Polícia foi chamada, e neste meio tempo, estive a relatar o acontecido a um amigo pelo WhatsApp. Atenção a um fato, pois vou voltar nele mais tarde: Quando a polícia chegou (6-7 agentes), tirei um foto orientada para o chão, que pegou apenas parte das botas de dois deles e mandei ao WhatsApp para o meu amigo dizendo "A polícia chegou".
Nos identificamos, eu, o agressor e a senhora que me rasgou o casaco.
Decidi por livre e espontânea vontade e iniciativa entregar o meu celular ao policial, com os vídeos, e permiti a ele olhar o meu messenger e WhatsApp para averiguar as acusações das senhoras de que eu estava a produzir conteúdo de pedofilia.
E agora começa a parte mais interessante: No vídeo, não aparece o rosto de ninguém, tudo o que filmei foi um vídeo de menos de um minuto, enquanto o homem me estava a segurar os pulsos, e apareceu o corpo de uma das raparigas, que estava, por sinal, bem a vista de todos.
O policial começou a me dar uma dura, na frente de todos, dizendo que eu não poderia fazer isto, que eu estava errado, com comentários do seguinte calibre "mas que caralho você está fazendo", falando alto comigo, como se eu estivesse errado. Quando ele viu a foto que mandei da bota dos policiais, ele olhou pra mim e disse "mas que caralho é isso, estás a pensar o quê, estás a se esticar", a falar num tom extremamente agressivo para mim, eu me defendi, disse que estava apenas a tentar comprovar os insultos que sofri, que não gravei nem publiquei a imagem de ninguém (a imagem da rapariga que apareceu no vídeo não incluía o rosto), que a foto que tirei foi das botas do agente apenas, no entanto, o agente que estava a falar comigo estava convencido a me dar uma dura e a me fazer sentir como uma péssima pessoa, um pedófilo que grava vídeos de raparigas pelo fórum.
O pior aconteceu quando, numa das minhas argumentações com o agente que me estava a repreender (em excesso, penso eu), um dos agentes disse "aqui o que vale são as leis de Portugal, aqui não é o Brasil" e "Volta para o seu país". Ora, fiquei pasmo ao ver que, um agente, na sua autoridade como representante do Estado Português, profira esse tipo de comentário xenófobo no exercício de sua função. Ao ver que eu não iria apenas ficar ouvindo falar e aceitar em mim a imagem que quisessem pintar de mim, o policial que me estava a repreender diminuiu o tom de discurso, mas continuou a falar alto (o que ele diz que é voz grossa, talvez em contrapartida ao meu tom de voz mais suave).
É de ressaltar que, dos 6-7 policiais que ali estavam, tive problemas com dois, os outros ficaram quietos ou apenas tentaram apoiar os outros policiais. Como conheço um dos policiais devido a uma ocorrência em que eu e outros vizinhos pedimos para que fossem retirados alguns drogados que estavam a se injetar em local publico, onde passam crianças, pedi boleia a estes para a baixa, pelo que o policial que me repreendeu insinuou que, já que eu "tenho" (dinheiro?), que chame táxi, papá ou o que fosse. Não tenho dinheiro, nem papá, trabalhei e estudei muito para fazer dois cursos superiores, passei por muitos problemas e, mesmo que tivesse dinheiro e papá, isso não deveria ser problema para ninguém.

Enfim, gostaria de perguntar a opinião sincera de pessoas sensatas quanto ao ocorrido, estou errado? Agi mal? Fui injustiçado? Os policiais agiram bem? E os comentários xenófobos, estão bem? Pode isso? O vídeo constitui crime? Devo pedir desculpas? Devem pedir desculpas a mim?

Gostaria de obter todas as impressões possíveis.

Muito obrigado pela paciência,
MacSLeao

PS: Me sinto injuriado e caluniado por ter sido feita a insinuação, por parte de um dos policiais de que, como o corpo da rapariga aparece no vídeo, mesmo sem identificação, isso faz de mim um pedófilo.
PS2: Estou em Portugal a 8 anos, apesar de ter demorado a me enquadrar, fiz aqui amigos para a vida, amo Portugal.

Edit1 - Correção do título "Confusão com um grupo de pessoas agitadas, fiquei sendo eu o errado, segundo o policial."


submitted by macsleao to portugal [link] [comments]


2018.04.20 20:34 CarroR24311 Como eu uso o Tinder pra despertar a “GP” interior em algumas mulheres

PRIMEIRO PASSO - O PERFIL
Bem, meu objetivo no Tinder sempre foi obter encontros com finalidade estritamente sexual, mas ao mesmo tempo precisava manter minha identidade preservada. Não estava buscando uma namorada, amante, crush, ou nada do tipo. "Ah, CarroR24311, mas não seria mais fácil então sair com uma GP?" Sim, seria...mas minhas motivações nem sempre são muito simples de serem definidas ou explicadas; encontro prazer no inusitado, no inesperado, na surpresa. Gosto de jogos, e me pareceu um jogo interessante essa "pescaria"...jogar a isca e ver quem nesse universo tão variado de meninas que aparecem todos os dias na descoberta do Tinder cairia na minha rede. Sabia desde o primeiro momento que seria uma loteria...sair com meninas das quais eu não sabia nada, das quais não tinha nenhuma informação senão meia dúzia de fotos e uma descrição que geralmente se resumia a signo, altura, gosta da série tal, dispensa quem quer apenas sexo (essa parte geralmente era a mais engraçada, por motivos óbvios).
Assim, o primeiro passo foi criar um facebook apenas com a finalidade de usar o Tinder, já que é obrigatório vincular uma conta do face ao Tinder. Feito isso, é hora de criar o perfil...por via de regras, no Tinder as pessoas avaliam as outras com base nas fotos e uma breve descrição. No meu caso a minha foto não mostrava a minha pessoa, mas sim uma sugestão sobre o meu objetivo ali. E minha descrição era bem objetiva, do tipo "Sou casado, busco relacionamento sexual e como retribuição ofereço um valor de até $$$ por cada encontro. Não busco romance ou namoro, ofereço e exijo o máximo de discrição".
SEGUNDO PASSO - A PESCARIA
Nesse momento se define o que se deseja, podendo limitar sua escolha por localização e faixa etária. No meu caso, no começo eu defini que gostaria de visualizar apenas meninas de 18-22 anos e localização de até 160 km do meu local. Nesse primeiro momento eu geralmente dava likes indiscriminadamente, queria mais ter um feeling se meu perfil iria fisgar a atenção de alguém. Logo no primeiro dia consegui 8 matchs, e então passei a ser mais seletivo, reduzindo o "range" de distância e concentrando meus likes apenas nas meninas que de fato me chamavam a atenção.
TERCEIRO PASSO - DEI MATCH, O QUE FAÇO AGORA
Bem, eu uso a seguinte regra: se dei like por último, eu começo a conversa, se a menina deu like por último, espero ela começar. No meu caso, tudo sempre começa com o famoso "Bom dia, tudo bem com você?", e em seguida eu pergunto se ela leu meu perfil por completo, se existe alguma dúvida com relação à minha proposta. Acho isso importante pois reforça a objetividade da oferta e não dá muita margem para a menina ficar de papo furado depois. Na maioria dos casos as meninas afirmam terem lido e estarem de acordo. Mas também na maioria dos casos elas vão querer saber um pouco sobre você, sua motivação, e principalmente, vão querer uma foto sua. Posso afirmar que 99% vão pedir para ver uma foto antes de seguir em frente, e existem mil maneiras que você pode enviar uma foto: colocando no próprio perfil do Tinder e depois tirando (não gosto de fazer isso, pois alguém conhecido pode justamente estar olhando seu perfil naquele exato momento), upando em um tumblr da vida e passando o link, ou então passando a conversa do Tinder para o popular WhatsApp. Eu geralmente uso essa última.
Bem, daí pra frente vai de cada um. Você vai ter que conversar com a menina e combinar o seu encontro. Eu geralmente pergunto à menina se ela prefere encontrar antes para tomar um café, conversar um pouco, quebrar o gelo, afinal de contas são garotas que na maioria das vezes nunca fizeram sexo em troca de dinheiro e ficam preocupadas de você ser um maníaco ao algo do tipo. Para uns 20% isso foi muito importante, e eu não teria sucesso com elas se não tivesse colocado essa possibilidade. As demais foram de boa para abate sem floreios. Também é bom salientar que na maioria dos casos de encontros pelo Tinder não é a menina que vem ao seu encontro. Você vai ter que ir atrás...e isso pode ser um empecilho para alguns.
Outra coisa, eu não pedi nudes para nenhuma menina. Como já disse lá no início, encarei essa experiência como uma loteria, e solicitar fotos sem roupas poderia colocar em risco meu objetivo. Tem muita gente no Tinder que fica só pedindo foto, e as meninas por razões óbvias vão ter muito receio de encaminha-las para um estranho. Em razão disso, tive alguns desapontamentos, mas no fim, como Edith Piaf posso afirmar que "Je ne regrette rien"
Com relação à duração dos encontros, isso também era algo totalmente em aberto. Eu particularmente preferia não definir nada, deixar rolar...assim, para algumas meninas eu paguei para ficar uma noite inteira o mesmo que valor que gastei para passar 20 minutos com outras.
Enfim, o resultado dessa experiência foram encontros com 19 meninas, das mais diversas origens e classes sociais. Vou descrever um resumo de cada um, para que tenham uma ideia do que poderão encontrar...
Menina 1 - Mesquita - 20 anos - Funcionária Pública
Bem, essa foi fisgada ainda na primeira leva de likes. Mulata, não muito bonita de rosto, mas tinha um corpão de passista de escola de samba. Combinamos na praça, e na hora marcada ela estava lá. Eu estava nervoso por ser meu primeiro encontro, e ela nitidamente também estava. Quando ela entra no carro bateu uma bad, pois as fotos haviam pegado apenas seus melhores ângulos, que eu pessoalmente não conseguia enxergar. Enfim, mas eu já estava ali, então ia tentar fazer daquele limão uma limonada. Já no carro ela começa a me elogiar, dizendo que me achou bonito e que não entendia o porque de eu estar pagando para sair com garotas, e no caso, estar saindo com ela. Eu pensei a mesma coisa, mas não disse. Como eu havia combinado antes com ela de sairmos para comer algumas coisa, fomos para o shopping almoçar e conversar um pouco, antes de ir para o hotel. Bem, pelo menos sem roupa ela compensava a cara. Menina bem gostosa, seios médios, bundão. pedia para chamar ela de puta e por fim, me ofereceu atrás que eu claro, não recusei. mas logo em seguida bateu a bad de novo, e disse a ela que tinha um compromisso e ia precisar ir embora. Devemos ter ficado em torno de 1 hora no hotel...na hora de pagar ela ficou muito constrangida, a princípio não quis receber. Mas depois de minha insistência, ela acabou aceitando.
No caminho para deixá-la de volta em casa ela contou que imaginava que iríamos ficar mais tempo, mas que como saiu cedo iria conseguir ir à reunião do grupo de jovens na igreja 54** . Achei essa parte engraçada, mas segurei para não rir. Dois minutos depois de deixá-la no local onde a peguei, descombinei no Tinder e fui seguindo meu caminho pra casa, quando ela me manda uma mensagem pelo WhatsApp perguntando o porque de eu ter descombinado. Enfim, como justamente estava nessa para não ter que dar satisfação a ninguém, não respondi e tratei de bloqueá-la no WhatsApp também. Ela foi a primeira de 36 contatos que estão bloquedos hoje no meu telefone, que vão de garotas que eu já saí e não quis repetir até meninas com quem eu comecei a conversar mas decidi por não encontrar.
Menina 2 - Volta Redonda - 21 anos - Estagiária em Escritório de Advocacia
Sim senhores, nesse afã por ppk eu fui parar em Volta Redonda. Como no começo meu "range" estava de até 160 km, acabei dando match com essa menina de lá, e ela me chamou tanta atenção que decidi que valeria a viagem. Pelas fotos do tinder e instagram ela parecia com a Mulan, personagem de um desenho da Disney. Na conversa pelo WhatsApp se mostrou instruída, tranquila, o que me animou ainda mais em encontra-la. Com ela não teve papo antes...nos encontramos e fomos direto para o hotel. Era a segunda vez que encontrava alguém em troca de grana e estava juntando para por silicone. Dei duas com ela, e poderia ter dado mais se quisesse, mas eu tinha que voltar ao Rio para trabalhar. Enfim, apesar de ter sido legal, não tinha intenção de repetir, então foi para o saco dos blocks também.
Menina 3 - Santa Cruz - 18 anos - Blogueira e Hostess
Fiquei impressionado com as fotos dela. Pelo WhatsApp a menina me pediu um monte de fotos, perguntou um monte de coisas, já estava ficando puto, mas como queria muito conhecê-la fui relevando. Até que ela passou um pouco dos limites, perguntando coisas da minha vida pessoal, daí eu dei-lhe um fora, e já imaginava que ela ia me xingar e cair fora, mas o oposto aconteceu. Ela pediu desculpas e ficou mansinha, me mandou até nudes sem eu pedir. hahahaha
Enfim, fui encontrá-la em Santa Cruz, e a menina queria manter as luzes apagadas no quarto. Muito gostosa, mas tinha um comportamento meio estranho. Parecia sofrer de distúrbio de dupla personalidade. Enfim, essa eu não bloqueei, pois achei que valeria a pena encontra-la novamente, mas três dias depois ela vem com uma história que estava precisando de grana para por implante no cabelo, se eu não podia adiantar, e tal...bem, percebi que essa mulher ia ficar no meu pé, então mais uma foi morar no saco dos blocks.
Menina 4 - Tijuca - 18 anos - Universitária
Quando dei match com ela eu nem acreditei. A menina era muito gata, mas muito mesmo...um corpo perfeito, conforme pude ver pelas suas fotos de biquíni. O relacionamento com ela extrapolou um pouco os limites que eu havia determinado para mim mesmo. Fui dormir na república onde ela morava, falava com ela todos os dias, já não pagava mais, mas a coisa já estava saindo do controle, então preferi me afastar. Dessa eu tenho saudades..
Menina 5 e 6 - Tijuca - 18 e 21 anos - Universitárias
Dei match com a de 21 anos, que durante as conversar informou que uma amiga também estava interessada. Me mandou fotos da amiga, que de fato parecia ser muito gata. Perguntei se ela e a amiga se pegavam, ela disse que não. Eu então questionei o sentido de eu sair com as duas. Elas disse que estava precisando muito de dinheiro, e que poderia fazer "2 pelo preço de 1,5". Bem, como eu estava muito afim de comer a amiga dela, topei. Nesse eu me dei mal...a amiga de fato era gata, mineira, 18 aninhos, branquinha, peitões. Uma delícia. Agora a menina que eu dei match era simplesmente diferente das fotos!!! Uma gordinha baixinha que eu não pegava nem de graça...mas é aquilo, "tá no inferno, abraça o capeta".
No hotel, as duas não podiam ficar no mesmo ambiente pois a mineira (que apesar de linda parecia um bicho do mato), tinha vergonha de dar na frente da amiga. Assim, a comi no banheiro enquanto a gordinha ficava no quarto olhando o que tinha na geladeira. Estava bom com a mineira, até que ela dá um troço e fala "agora vai com ela"...hahaha. Quase me desesperei, argumentei que estava bom ali, que não queria parar naquele momento, mas ela disse que estava ficando com a buceta ardendo por causa da camisinha. Enfim, muito puto fui comer a gordinha, que pelo menos tinha uma buceta quentinha e apertada...botei o travesseiro na cabeça dela e percebi que daquela forma, com ela de 4, até que não estava de todo ruim. Enfim, gozei e quando eu viro por lado a mineira já estava vindo arrumada do banheiro. isso não tinha passado nem 40 minutos de quando havíamos chegado. Pra não me estressar, levei as duas embora com a intenção de nunca mais ver a cara das delas. Até que um dia recebo uma mensagem no whatsapp de um número desconhecido, e para a minha surpresa era a mineira, que estava querendo sair de novo comigo (ou seja, estava precisando de grana). Falei que ela estava doida, que tinha me decepcionado da última vez e não estava afim de me aborrecer novamente. Daí ela falou que ia se esforçar para me agradar desta vez, pediu desculpas, quase implorou. Como ela era gostosa, e estava aparentemente arrependida, lá fui eu encontrá-la. Até que de fato foi melhor, mas ela estava afim de um patrono, e eu não queria ter compromisso de ter de ficar saindo sempre que ela precisasse de grana, então botei ela no saco junto com as outras.
Menina 7 - Baixada - 20 anos
Essa prefiro não relatar, sorry.
Menina 8 - Nova Iguaçu - 18 anos
Essa eu conheci por intermédio da menina 8, então boto na conta do tinder também. Branquinha, linda, uma princesa...essa eu faço questão de encontrar até hoje.
Menina 9 - Duque de Caxias - 18 anos - Lojista
As fotos dela eram sensacionais. Os seios foram os que mais me chamaram a atenção, mas o rosto era lindíssimo. Por isso até fiquei meio cabreiro. Mas ao vê-la pessoalmente fiquei impressionado em como ela era ainda mais bonita. Segundo ela, eu era apenas o segundo cara com quem ela fazia sexo na vida. O primeiro havia sido um namorado com quem ela havia terminado apenas dois meses antes. A menina era muito, mas muito gostosa, e além de tudo ainda deixou eu fazer várias coisas loucas. Detalhe, ela disse ter uma irmã gêmea, o que foi suficiente para aflorar em minha mente os mais perversos pensamentos. Infelizmente não encontrei mais com ela, embora tenhamos nos falado algumas vezes depois. Fico na esperança, pois dessa também tenho muitas saudades
Menina 10 - Magé - 20 anos - Universitária
Loira, 1,75 m de altura, mulherão. Mas com carinha de menina...essa foi engraçada, pois demoramos a nos encontrar. Ela só podia em um dia específico da semana, num espaço de duas horas. Como fui descobrir depois, ela estudava com o namorado, e a única matéria que eles não faziam juntos caia nesse horário. Então eu a pegava na porta da faculdade, saía correndo pro hotel, e antes da aula terminar eu tinha que deixá-la de volta, pois ela ia para casa com o corno. Nos encontramos 3 vezes, e só paguei a primeira...nas outras ela me chamou, pois como o namorado dela não comparecia (eram crentes), ela sentia falta de sexo e acabava pedindo minha "ajuda". Saí fora pois fiquei com receio de dar merda, mas valeu a pena a aventura.
Menina 11 - Duque de Caxias - 22 anos - Comerciante
Me chamou atenção pois parecia ser linda de rosto pelas fotos. E de fato era muito mas muito bonita. Mas tinha um corpo meio estranho. Já era mãe, e a gravidez acabou judiando da menina. Mas tinha os maiores seios que já vi na vida, ainda que um tanto que moles. Gente boa, não tive coragem de dar block de primeira, mas também não queria mais sair com ela. Só que ela ficava me mandando mensagem direto, daí não teve jeito e mandei pro saco também.
Menina 12 - Duque de Caxias - 21 anos - Universitária
Essa foi engraçado. Menina de Goiânia, nos falávamos pelo WhatsApp e seu sotaque dava o maior tesão, aquele "amorrr" fazia o pau subir na hora. Mas a menina era muito carente, e já no chat ficava falando que não ia querer receber pois tinha medo de isso afetar nosso futuro 08** 08** 08** . Bem, no dia do encontro saímos antes para tomar conversar, tomamos um chá, e a menina estava cheia de amor. Já no hotel se mostrou uma devassa na cama, muito gostosa, mas ela estava afim de romance, então tive de sair fora.
Menina 13 - Barra da Tijuca - 18 anos - Só fuma maconha 70**
Essa menina eu já encontrei algumas vezes. Tem um perfil social que difere da maioria das outras pois é de família abastada. Mora em uma mansão em condomínio fechado da Barra, tem tudo o que quer, e sinceramente eu não sei por que está nessa. Acho que ela curte o lance da aventura, sei lá...nunca entendi. Mas enfim, é gostosa demais, muito safada, então eu vou aproveitando.
Menina 14 - Campo Grande - 18 anos - Trabalha mas não sei aonde
Essa menina foi meio estranha, bonita, vivia me mandando nudes perguntando quando eu iria encontrá-la, até que um dia resolvi ir na longínqua Big Field. De fato muito gostosa, mas muito estranha também. Eu a elogiei assim que nos encontramos, tipo "você é muito bonita", e ela "eu sei!" 17** . Já fiquei meio bolado...calada, não falava absolutamente nada até chegarmos ao hotel. Bem gostosa, mas não me senti a vontade em nenhum momento com ela. Até que uma hora ela começa a ter dificuldades para respirar, e eu fiquei super bolado pensando que a menina ia morrer...ela disse que isso era normal, que ela precisava tomar um remédio para melhorar. Daí falei para irmos embora, mas ela não queria ir. Eu ficando desesperado, mas ela aparentou melhorar. Fumava igual um saci....fui puxar assunto, comentando que ela era muito quieta, até estranha. Que eu estava com medo dela...hahaha. Ela começou então a contar a história dela, que tinha vivido em orfanato até os 13 anos, um monte de história triste, daí fiquei na bad e insisti que tinha que ir embora. Finalmente ela aceitou. Nesse dia tive duas alegrias, uma quando a encontrei, e vi que era bonita, e outra quando consegui me ver livre dessa doida. Óbvio que foi para o saco.
Menina 15 - Jacaré - 18 anos - Terminando 2º grau
Menina bonita, mas meio feminista. Não depilava a perna nem as axilas. Estava menstruada quando nos encontramos (só descobri na hora), não chupava (nas palavras dela "não faço aquele job"), enfim, desastre total. E o pior é que ela ficou me ligando depois querendo me encontrar de novo...
Tiveram mais 4, inclusive uma que mora no Leblon, que eu até agora não acreditei que deu match. Conheci-a dois dias atrás e estou praticamente apaixonado. A mulher é tão linda, mas tão linda que só o fato de eu ter saído com ela valeu por todos os infortúnios que passei. Mas agora estou com preguiça de descrever, e esse texto está ficando muito longo. hahahaha
Enfim, fora essas, ainda tem 19 matchs para desenrolar, e isso tudo em pouco mais de 1 mês. As experiências foram das mais diversas, e dá para comer uma menina por dia nesse tinder se você tiver disposição, grana e tempo.
Espero que tenha sido útil para quem ainda tem dúvidas sobre a utilização desse app. Eu já estou perdendo o fôlego, tem umas meninas que ainda quero conhecer pois me chamaram muito a atenção, mas depois disso vou dar uma parada. Administrar a logística para todos esses encontros não foi fácil. Mas valeu a pena!
TL;DR: ofereço grana pra mulheres “normais” no Tinder em troca de sexo e elas aceitam. Seguem também relatos de alguns encontros.
submitted by CarroR24311 to brasil [link] [comments]


2017.04.13 16:07 1984stardusta Alienação parental

O SILOGISMO SOFÍSTICO DO ABUSO SEXUAL TRAVESTIDO EM ALIENAÇÃO PARENTAL
 Silogismo, conceito filosófico, é um modelo aristotélico de raciocínio lógico baseado na ideia de dedução. Como todos sabem, ele é composto por duas premissas e uma conclusão deduzida. Muito usado no Direito, baseia a Jurisprudência, dando sustentação à ideia de igualdade de direitos para todos. No entanto, o silogismo pode levar a um erro. Outra figura filosófica, o Sofisma, pensamento que se utiliza do raciocínio lógico dos três elementos do silogismo para induzir ao erro, a uma falsa conclusão sem perder a lógica, com a intenção de enganar. 
O calo social, pai é pai, é outro sofisma que conduz a desastres psicológicos quando ignora a diferenciação entre titularidade, hoje muito diversificada e função. É a função que é rasgada quando de um abuso sexual contra um filho ou filha. No discurso psicojurídico esta diferença é negada. E ainda, o pedófilo é um psicopata. E como tal, tem uma enorme capacidade de convencimento, é exímio manipulador. É uma pessoa acima de qualquer suspeita posto que tem uma divisão em sua mente, e gerencia com muita habilidade esta cisão, diferente dos psicóticos que são regidos por ela. Sedutor por natureza, o psicopata está sempre atento a todos os detalhes, tendo plena consciência do crime que está cometendo, mas sem sentir nenhuma culpa.
Ao contrário do que parece, não é o prazer sexual que o move para praticar o abuso. É o prazer pela Síndrome do Pequeno Poder, da dominação absoluta do outro, do desafio da prática da transgressão secreta, do êxtase de enganar a todos.
Este perfil é mais um complicador que é evitado nas avaliações destas queixas. Em lugar de examinar o pai suspeito, é feita acareação, lembrando porões, para depois afirmar, pelo uso do olhômetro, que não houve abuso porque a criança sentou no colo do pai.
Mais uma vez temos um grave Silogismo Sofístico. Claro que a criança pequena continuará a sentar no colo do pai abusador, não se pode esquecer que as práticas de abuso excitam as crianças e lhes deixam uma mistura de sensação prazerosa única, e culpa. A criança ama e obedece ao abusadopai. Portanto este olhômetro é um sofisma que vem baseando o argumento de laudos periciais, todos não protocolares, recheados de achismos e silogismos sofísticos.
 A tão aludida Alienação Parental da mãe, isto é curioso porque hoje este conceito pertence ao gênero feminino apenas, tem sentenciado a totalidade dos processos de abuso sexual intrafamiliar. E tem cometido a aberração do afastamento do convívio da criança com sua mãe. 
A perda da guarda está banalizada, num tempo em que se funda a importância do convívio compartilhado com pai e mãe. O caso da menina Joanna Cardozo Marcenal Marins é emblemático. Atendendo ao pai que alegava Alienação Parental, foi tirada a guarda da mãe, ordenado seu afastamento absoluto por 90 dias, e a menina foi assassinada pelo pai e madrasta no primeiro mês do prazo deste despacho.
 A Alienação Parental não precisa ser muito provada. Alegações verbais, pequenas manobras de autoalienação, já apontada como ponto a ser verificado com cuidado por Maria Berenice Dias em seu livro “Incesto e Alienação Parental”, fazem o argumento que pode levar a este desfecho. Esta autora chama a atenção para o uso de falsa alegação de Alienação Parental como manobra para se tornar vítima através da Alienação Auto Infligida. Mas, da alegação de abuso sexual é exigida prova de materialidade, o que destituiria este crime de sua essência, o crime às escuras. Maria Clara Sottomayor, desembargadora em Portugal, autora de vários títulos sobre Direito da Criança, contesta o conceito de Alienação Parental, que, aliás, não tem base científica. Ela compreende o período que se sucede à separação do casal como um processo de luto que tem sua própria duração de tempo, e que se desfaz, naturalmente, à medida que os dois do casal refazem suas vidas afetivas. Ela também faz uma classificação das ocorrências de Alienação Parental. Os critérios diagnósticos da S.A.P. precisam distinguir a Alienação Adaptativa da Alienação Patológica, a Alienação Justificada da Não Justificada, para evitar ignorar as causas da Alienação. Por exemplo, a Alienação Parental Justificada, quando, sob o tempo da Justiça e todos os seus prazos e recursos, um pai é nefasto para a criança, por qualquer tipo de violência com ela praticada, é uma maneira encontrada pela mãe de alertar a criança para o uso da sedução que ele faz. Vale trazer aqui o criador do conceito: Richard Gardner. Prestando trabalho voluntário na Universidade de Columbia, defendia homens acusados de violência doméstica e abuso sexual contra filhos. .Forjou o conceito e com o seu uso ele, desacreditando a criança, inverteu as posições de vítima e algoz e passou a fazer sucesso, o que lhe rendeu ganhar o título de professor convidado. Gardner pensa como pedófilo e escreve: “as atividades sexuais entre adultos e crianças são parte do repertório natural da atividade sexual humana, uma prática positiva para a procriação, porque a pedofilia estimula sexualmente a criança, torna-a muito sexualizada e a faz ansiar experiências sexuais que redundarão num aumento da procriação”, em seu livro “True and False Accusations of Child Sex Abuse”, pp. 24-25. Palavras dele. Estas e muitas outras com este mesmo teor. E este conceito, forjado por alguém que assim pensa, está consagrado e é hegemônico e dogmático entre nós. 
Gardner, idolatrado entre nós, diante do apelo de ganhar os processos destes homens violentos e estupradores dos filhos, criou pelo descrédito na criança, a inversão de posições vítima e algoz, atribuindo esta última à criança de 03, 04, 05 anos.
Excluiu a criança, desqualificando sua voz. O foco passou então a estar no pai, que vitimizou, e na mãe que demonizou. 
Combinou esta manobra sofística, em que usa o mecanismo de defesa do ego da projeção, primário, com a “terapia da ameaça” a que a mãe é submetida para engessá-la e dissuadi-la de qualquer maneira da busca de proteção e dignidade de seu filho ou filha.
 A mãe é ameaçada. Ameaça de perda da guarda, ameaça de punição financeira, ameaça de afastamento total de convívio com a criança. É incrível como operadores de Justiça executam com tanta habilidade esta terapia da ameaça em tempos em que se luta por cidadania, sem se dar conta do comportamento 
que estão tendo. E pior, como estas ameaças tem se concretizado, sem nenhum cuidado as sequelas causadas, destruindo crianças e mães.
 A terapia da ameaça faz parte de sistema repressor de controle absoluto. Está embebida da matéria prima que rege o pedófilo, o medo, a intimidação, a dominação perversa. Para avaliar o discurso e o comportamento de uma criança que revela um abuso sexual intrafamiliar, o profissional há que se capacitar especificamente, e da maneira mais adequada e qualitativa, seguindo protocolo, métodos e técnicas, com rigores das Ciências Humanas. Ocorre que, além de ser muito mais difícil de suportar do que atribuir uma prática de Alienação Parental, a capacitação faz com que o profissional entre em contato com a pior das perversões. A pedofilia é uma compulsão, repetitiva sempre, da ordem dos comportamentos sub animais. O descrédito na fala da criança é patrocinado pele ausência de capacitação técnica dos profissionais que deveriam auxiliar com esclarecimentos e indícios os processos que buscam proteção para a criança. Quando não estamos capacitados a ver e ouvir, tudo pode ser falado ou mostrado, mas não conseguimos enxergar. Neste cenário, o “melhor caminho” para esta negação de fatos horrorosos é a Cegueira Deliberada, hoje endêmica, que entra no lugar da Responsabilidade Empática. Urge buscá-la para garantir o Direito à Dignidade da Criança. A Childhood Brasil desenvolveu um método baseado em estudos científicos, a “Escuta Especial”. O cuidado com o discurso da criança, a atenção com a disposição até dos móveis na sala, a escolha da sequência de perguntas, o respeito através da ausência de afronta e dúvida, o cuidado com o profissional que toma o depoimento da criança atingido pela escuta por esta barbárie, a entrada do MP na vida da criança, são elementos fundamentais para se cumprir o Princípio do Melhor Interesse da Criança, hoje tão esquecido e contrariado. O registro audiovisual e a parede de espelho unifacial são recursos de tecnologia a favor da não revitimização por repetição infindável de oitivas, deixando à mostra a expressão corporal da criança, e tornando a oitiva viva e 
observável por todos os Operadores do processo.
 Mas a resistência ao uso destes instrumentos favoráveis à criança é enorme. É uníssona a preferência dos profissionais pelo Poder da interpretação pessoal que ignora a metodologia e a técnica científicas, e o Protocolo, uma unificação de linguagem. Em 2014, a escuta de crianças e adolescentes em situação de violência sexual, lançava diretrizes para Consolidação de uma Política Pública do Estado Brasileiro, e teve como parceiros o Tribunal de Justiça de São Paulo, a Escola Paulista de 
Magistratura, a Escola Judicial dos Servidores S.P., o C. N. J., UNICEF, o National Children’s Advocacy Center, a Secretaria de Reforma do Judiciário, a Secretaria de Direitos Humanos, o Ministério da Justiça, e a Universidade Católica de Brasília
 Tive a honra de estar lá a convite da Childhood, e testemunhar este passo qualitativo na Proteção de Crianças e Adolescentes. E o mais importante: eram desembargadores, 
juízes, promotores, defensores, advogados, comprometidos com a criança. Comprometidos. Senti-me alimentada pela esperança.
Esta instituição, a Childhood, havia instalado uma unidade, já em funcionamento em Pernambuco, com a metodologia e a técnica da melhor qualidade, inclusive com o uso de Protocolo. Mas, pouco se sabe sobre isto, não interessa aos adeptos da Doutrina 
da Alienação Parental, e a implantação de um modelo que segue um Protocolo é pouco aceito. Haja vista a instalação de Salas de Depoimento Sem Dano em todas as Comarcas do Rio Grande do Sul, e que tem um uso em torno de 10%, por resistência à pequena grande mudança, informação falada em voz baixa.
No ano passado, 2015, mas só agora divulgado, a Comissão de Eutanásia da 
Holanda concedeu autorização deste procedimento a uma mulher de pouco mais de 20 anos, fato agora divulgado. Ela tinha sido estuprada dos 05 aos 15 anos. O pedido do procedimento foi concedido após ela ter se submetido à terapia intensiva, por anos, e ter sido avaliada por uma junta médica que atestou que ela estava em plena lucidez, no controle de suas faculdades mentais. Apenas, e tão somente, ela não estava suportando mais as doenças psicológicas destas memórias.
 Não nos cabe trazer à baila aqui a eutanásia, a junta médica, ou a desistência desta jovem. Como resultado do abuso, ela sofria de estresse pós-traumático, anorexia severa, depressão crônica e alucinações. Doenças diagnosticadas como incuráveis pela junta médica em três avaliações. A dor diuturna profunda e silenciosa que desenhava seu sofrimento na deformação do corpo pela anorexia, que sentia a tristeza do holocausto subjetivo, e que alucinava retornando à cena da opressão dos abusos, foi insuportável durante toda a sua curta vida. Exatamente o que temos afirmado há anos pela experiência clínica com inúmeros sobreviventes do incesto e do abuso intrafamiliar. A dor psicológica, pela primeira vez, foi dimensionada respeitando-se os limites humanos, e foi reconhecida pelos médicos como tão insuportável quanto uma dor neoplásica de um paciente terminal que fundamenta as autorizações deste procedimento nos países em que a eutanásia é legalizada. O abuso sexual é uma tatuagem na alma de meninos e meninas. Algumas vezes, a 
violência, não pela força, mas pela crueldade ao tatuar, que o requinte da perversão adquire dimensões inimagináveis, causando uma infecção crônica nesta tatuagem que dói e sangra sem parar. Provável ter sido o caso desta sempre corajosa menina holandesa. Ursos não são estrelas!
submitted by 1984stardusta to brasil [link] [comments]


2016.12.15 19:38 lakeyosemit2 Desde 2008, o /r/brasil teve 817.419 comentários feitos por 14.729 usuários únicos. Parabéns à comunidade!

Esses dias fiz um post com os comentários mais votados dentre os últimos 57 mil. Por causa de problemas técnicos, não fi-lo com todos comentários de todos os tempos. Agora, depois de 250 GB de comentários baixados ao longo de uma semana, tenho todos os dados.
O primeiro comentário feito ao /brasil foi no dia 16 de Fevereiro de 2008:
Usuário Comentário
tivolitur Tivoli Lazer, viagens de lazer, pacotes , pousadas,
Nascido do spam, o sub atingiu em 31 de Outubro de 2016 a marca de 817.419 comentários, feitos por 14.729 usuários únicos. Ao todo, os /brasileiros distribuíram um net karma (upvotes - downvotes) de 2.698.865! Por limitações do arquivo de comentários não foi possível incluir comentários mais recentes, e é possível que o sub já tenha atingido seu milionésimo comentário! Os comentários do /brasil filtrados do arquivo de 250 GB com todos comentários do reddit podem ser encontrados aqui (53 MB). O código para obter os dados mencionados nesse tópico pode ser encontrado aqui. Sem mais delongas, aos top 20!
Os 20 usuários com maior karma de comentários acumulado na história do sub:
Usuário Karma
[deleted] 126685
protestor 25890
nmarcolan 25849
babsrosa 24061
I_am_bovo 22381
chokkolate 18863
schmook 18536
SamucaDuca 15628
ROLeite 15203
bycrozz 14859
Donnutz 13062
1984stardust 12970
busdriverbuddha1 12546
kupfernikel 12259
VeteranCommander 12010
waspbr 11755
hoodjiah 11389
Montgomery-Cavendish 11074
Jay_Santos 10682
mmxx_th 10462
Os 20 comentaristas mais odiados do sub (menor karma acumulado):
Usuário Karma
VyMajoris -1073
Eonporter -614
parallel_life -592
Lffaz -381
Helhkr -136
axnine -113
PedroDev -98
EstudantedeHisotria -94
MeesterNoName -91
TheAngelW -86
feb33_1958 -84
Gothnath -82
PalavraDeDeus -73
VarsityPhysicist -64
confirma1X -58
I_HATE_GRINGOS -56
s9ugwSbM -56
PM_ME_WEED_AND_PUSSY -55
The_Force_Within -55
ce_dibb -54
Gostaria de congratular o VyMajoris pelo feito!
Os 20 melhores comentários
Votos Autor Comentário
777 vicedecorativo I'M LAUGHING A LOCHTE
495 adminslikefelching You don't have to apologize for what you haven't done, the actions of a bunch of people don't represent an entire nation.
488 frahm9 Bessias
399 qwerty7190 MEXICANO AQUÍ, NO LES ENTIENDO MUY BIEN PERO TIENEN MI SOPORTE, ADELANTE GUEYES
373 PanchDog CHILE TE APOYA CONCHESUMARE Y QUE ESTOS GRINGOS MARICONES DE REDDIT SE CHUPEN UNA SALCHICHA ALEMANA!!!\n\nBRAZIIIL-ZIL-ZIL-ZIL-ZIL
359 meunovonomedeusuario E DIGO MAIS: SANTOS DUMMONT É O INVENTOR DO AVIÃO
332 srjow Coitada, não sabe manobrar que nem o pai.
325 mmxx_th > que até a OI faria um trabalho melhor\n\nPelo menos não iria mais funcionar celular na prisão.
315 frahm9 Põe tag de spoiler porra, eu tou na parte do Ciro puto ainda.
311 AbortusLuciferum É tanta manobra que já podiam criar Eduardo Cunha Pro Skater 2016\n\n...desculpa
296 Gusteer VAMO CARALHO CHEIRA MEU CÚ GRINGO ARROMBADO\n\nWOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO\nBIRRLLLLLLLLL\n\nEDIT: É GOLD AQUI TBM, VALEU PORRAA
288 Gambrel ACABOU A CRISE CARAI ! VI PEDREIRO ABASTECENDO O MONZA 89 NA PODIUM E DANDO O TROCO PRO FRENTISTA !\n\n\n\nFoi lindo, o carro saiu voando em direção aos céus.
271 Eitjr Se o voto do Não tivesse recebido 367 votos, você sentiria a mesma coisa.\n\nO deputado do dolar na cueca ministrando sobre ética.\n\nDeputado envolvido com mensalão, deputado envolvido com petrolão tudo votando NÃO.\n\nAqui em Goiás tem um comunista do PT - o único que votou não - que é milionário e faz campanha como sendo defensor dos professores, mas é o primeiro comunista e o primeiro professor MILIONÁRIO que eu conheço (detalhe, antes de entrar na política era quebrado como todos os professores que acreditam nele)\n\nTivemos na mesma proporção (tem um outro post com os gráficos) deputados envolvidos em escândalos dos dois lados, muitos ainda não pois possuem foro privilegiado, mas logo logo vão receber a sua punição...\n\nDeputados e PARTIDOS falando sobre a constituição sendo rasgada - MAS QUE VOTOU CONTRA A CONSTITUIÇÃO DE 1988 \n\nDeputados falando que não houve crime, quando há provas cabais que HOUVE crime.\n\nDeputados falando em defesa da democracia, sendo que o impeachment É a solução democrática para impedir que um presidente faça essa bagunça que foi feita no nosso país\n\nO momento alí era para falar SIM ou NÃO, poucos fizeram isso. Você não pode se revoltar que eles não falaram da pedalada ou falaram de família porque ali não era pra falar nada, tiveram a semana toda para falar. Os que falaram, aproveitaram os seus 30 segundos na frente da TV onde milhões estavam assistindo para darem uma satisfação aos seus eleitores ou aparecerem mesmo.\n\nMas deveria ser só SIM ou NÃO.\n\n\nQual a legitimidade de um governo que fica falando que teve 54milhoes de votos e o vice não teve nenhum, mas escolheu justamente o PMDB para ser aliado, porque o PMDB é o partido com mais representações nas prefeituras e nos estados? Quantos MILHÕES só votaram 13 porque são PMDB e apoiam candidatos e políticos do PMDB? E ainda falam que o vice é GOLPISTA? E que ele não teve votos?? Porque não fez uma chapa só PT-PT então?\n\nQual a legitimidade de um Estado, que foi eleito MENTINDO para a população sobre a atual situação econômica do País? No dia SEGUINTE EXATO depois da eleição o governo mudou posições que DOIS DIAS ANTES ela no debate falava que não ia mudar, começou a retirar benefícios do povo que eram a bandeira da eleição, PRONATEC, CIENCIA SEM FRONTEIRAS, DIREITOS DO TRABALHADOR.\n\nNão conseguiu segurar a economia, a inflação, a petrobrás. Tudo que falaram que o outro candidato iria fazer. Qual a credibilidade tem um estado que MENTIU para ir para o poder e fez depois o OPOSTO que falou ao povo que iria fazer?\n\n\n\nQual a legitimidade de um estado que fez a sua campanha FINANCIADO COM CENTENAS DE MILHÕES que foram roubados das empresas estatais? Dinheiro que era para ser investido para melhorar o país foi desviado para bolsos de empresários, políticos e CAMPANHAS ELEITORAIS!! A mentira contada pelo PT, foi paga com corrupção.\n\nE não sou eu que estou falando não, são mais de 50 delatores que confessaram o crime, e vão passar anos na cadeia e tendo que devolver milhões de reais que estão falando.\n\nÉ legítimo isso?\n\n\n---------------------\n\nAlgo precisa ser feito. Não acho que CUNHA ou TEMER são a solução, mas FICAR PARADO VENDO ISSO NÃO SE PODE.\n\n\nE continuo FORA LULA, FORA DILMA, FORA CUNHA, FORA RENAN SIM!\n\nA diferença é que tem gente que quer: 'SÓ FORA CUNHA, SÓ FORA RENAN, SÓ FORA TEMER - mas por favor não meche na dilma, não meche no lula'.\n\nEssa é a diferença e por causa dessa diferença, eu estou sim, CONTENTE.\n\n\nQue o brasil aproveite essa OUTRA chance, pra se arrumar. Ao invés de ficar gritando golpe e tentando tampar os olhos.\n\n\nViva a Lava Jato. Prisão a todos os corruptos. De todos os partidos!\n\n\n-------------\n\nNÃO SOU A FAVOR NEM DA BOSTA, NEM DA MERDA, SOU A FAVOR DA DESCARGA
268 mushenrique Bel Pesce é a sacerdotisa brasileira de uma nova religião contemporânea: O empreendedorismo de Palestra.\n\nEla basicamente só tem negócios que fazem uma coisa: Sua auto promoção. Um organiza as palestras dela, outra os livros dela, outra os cursos dela e por aí vai. Tudo isso começou por causa do mito que ela criou em cima dela mesma com o ebook a menina do vale.\n\nEla acumula no curriculum as figurinhas que as pessoas idolatram: Google, Microsoft, MIT, startup (aconselho a irem ver no que deu a startup dela). Buzzwords como 'inovação', 'disruptiva', 'crowdfunding', tudo isso seduz a geração Y wannabe de Steve Jobs, Zuckberd, Musk e afins. \n\nIsso chega ao absurdo das pessoas DAREM dinheiro pra ela... cara, dar dinheiro pra ela pra que? Não é ela inovadora, disruptiva, criativa destrutiva, fodedora de velhos negócios?\n\nEla é o Edir Macedo desse culto, a propagandeadora dessa bolha que estamos inchando nesse século, dessa punhetação coletiva chamada 'ecossistema de startups' que é um grande cassino de gente rica querendo investir e um show de calouros pra gente que sonha em ganhar investimento dessa gente e 'entrar pro clube'. Alguém já assistiu Black Mirror?\n\nNão caiam nessa.\n\n*EDIT: Acompanhando os comentários da própria campanha. Que vergonha alheia, cara.\n\nEDIT 2: O loco, um GOLD. To melhor que a própria Bel Pesce em mobilizar as pessoas a me darem coisas.\n\nEDIT 3: 01/09/2016 - Quando eu disse pra procurarem a respeito da Startup que ela fundou.... voltei aqui só pra dizer que 'eu avisei', haha.
261 KaXaSA >“No Brasil é assim: quando um pobre rouba ele vai para a cadeia, mas quando um rico rouba ele vira ministro”.\n\n>-Luiz Inácio Lula da Silva\n
244 bschmok1 American here who just got back from Rio (and Recife and Curitiba). \n\nThe Rio Olympics were spectacular! And I'm so disappointed that many of my compatriots apparently decided not to go because they believed the fear-mongering media.\n\nIt was very noticeable that there were far fewer Americans compared to Europeans/Canadians/Australians and listening to the ridiculous, ignorant comments of my friends/family/coworkers regarding Rio/Brasil is getting annoying.\n\nAs someone who has lived and traveled abroad (including in SP and Curitiba), it's easy to forget how sheltered and U.S.-centric most Americans are until they are given the chance to talk about another country...
244 schmook Sujeito nojento. Nojento. O cara glorifica torturador e vocês chamam ele de mito? \n\nUma coisa é ser contra a Dilma, e eu sou. Uma outra coisa é ser pró impeachment, que eu também sou. \n\nMas homenagear o cara que torturou ela? Puta que me pariu. Isso é coisa de gente baixa, nojenta, sem capacidade moral, gente sádica, sem humanidade. Gente espúria. \n\nMinha mãe foi torturada por gente como esse bandido, nojento, sádico. Cuspiria eu mesmo na cara dele com todo prazer.
240 pucci_after BORA COLOCAR O PRIMEIRO POST EM PORTUGUÊS BRASILEIRO NO /all\n\nEDIT: VIGÉSIMO SEGUNDO POST DA FRONTPAGE, RUMO AO TOP 5, GOGOGOGOGOGO
238 meunomeegal Poxa vida!!! Eu nem entro mais em sites de notícias. Quando quero saber algo relevante venho aqui, vejo o que me interessa, leio os comentários, veja a galera debater (quase sempre um debate mais claro, objetivo e menos parcial do que dos sites). É uma pena!!!
237 nerak33 A Mônica e o Cebolinha vivem o bullying como devia ser se o mundo fosse cor de rosa. Eles vivem o sofrimento humano só com as lágrimas, mas sem o rancor e a amargura que as injustiças deixam na gente.\n\nMônica é a dona da rua. Cebolinha se acha mais esperto e quer ser ele o dono da rua - simbolicamente quer roubar o coelho dela, o Sansão. Assim como Dalila precisava tirar o cabelo do herói para tirar sua força, Cebolinha precisa roubar Sansão para tirar o poder simbólico, o cetro de Mônica. Mas seus planos sempre dão errado e ele apanha. Porque bate nos meninos, Mônica é a dona da rua. O ciclo se repete.\n\nQuem começou? Não dá pra saber. Isso distancia a 'violência' entre essas crianças de uma relação de bullying. É uma rivalidade em pé de igualdade.\n\nMônica chora, mas também se defende. Cebolinha apanha, mas não perde o sarcasmo. Eles sofrem, mas não são derrotados.\n\nSão como os clowns. A gente ama tanto a nossa humanidade que há neles, e é por sofrerem que são humanos. Mas eles sofrem sem rasgar e sem perderem a humanidade. São mais humanos, por não serem de carne.\n\nE são crianças. São capazes de serem ao mesmo tempo malvados e doces uns com os outros. Vão nas festas de aniversário uns dos outros e combatem vilões juntos. Ajudam a tirar ciscos do olho e consolam-se quando estão tristes. Acho que no céu é assim: as crianças ainda brigam, mas nunca se machucam e sempre se perdoam.\n\nNão é a toa que a Turma da Mônica funciona, mesmo com o traço simplório, a seqüência de quadros e fundos preguiçosos, etc. São histórias que tratam o leitor infantil com honestidade e também com carinho.
Já a Estatueta Amácio Mazzaropi de Nióbio para os 20 piores comentários da história vai para:
Votos Autor Comentário
-107 rubemll Não sei se isso vai acabar (E acabar com os gameplayers seria uma boa, não passam informação relevante, é um tipo de conteúdo completamente fútil e inútil), mas acho que já está fazendo muita gente rever essa mania maluca de querer alta definição em tudo.\n\nAssistem TV 480i boa parte do tempo, mas na hora de um conteúdo irrelevante como filme e vídeo do YT querem 1080p, vai entender, só consome mais banda a toa.\n\n(Áudio lossless que é bom esse povo não procura, porque nem sabe o que é isso. Se fazer upscale de 720p pra 1080p e postar assim muito noob assiste 1080p felizão e elogia a qualidade, é pura fachada essa necessidade de altas resoluções, tenho sérias dúvidas se 90% dos baixadores de fullHD notariam a diferença de uma exibição 720p pra 1080p)
-92 rubemll Alguns nazistas matavam judeus só por entretenimento.\n\nTem uns playboy retardado que tacam fogo em mendigo só por entretenimento.\n\nSe é só entretenimento então tá liberado.\n\nDesde que os Direitos Universais do Homem estabeleceram que todo mundo tem direito a alimentação, segurança, moradia e etc, a prioridade deveria ser melhorar o mundo até que isso seja alcançado, e jogar joguinho inútil não ajuda em nada pra isso. \n\nDia que o mundo todo tiver equalização de acesso à renda, alimentação e informação, aí tá liberado gastar o tempo extra com futilidades inúteis só pra entreter.\n\nAs coisas precisam ter uma utilidade mais nobre, 'só entreter' é coisa pra neanderthal egoísta que não sabe enxergar o mundo ao redor. Se tem gente que se entretêm pesquisando, publicando e estudando conteúdo pra melhorar o mundo, porque vai defender esses pirralhos egoístas que se entretêm só com o que afeta apenas a própria bunda?
-88 Eonporter Um salto de marcha ré... bem vindo de volta à Roma pagã.\n\nEDIT: Mas pelo menos houve uma votação democrática. O que nos tempos atuais já digno de nota. A Irlanda está se enterrando, mas pelo menos é voluntariamente.
-85 luisfca O pão e circo mostrando toda sua força! Não percam a chance de mostrar isso, pessoal! Vamos bater no peito toda nossa ignorância
-75 CadeOCarimbo 1) Acho que ninguém aqui do sub participou da organização, então é meio vazio dar os parabéns a nós. \n\n2) Melhores olimpíadas da história? Vc tem acompanhado as notícias? Austrália, Argentina e Jamaica reclamando das condições físicas, um fotógrafo europeu teve 40k usd de equipamentos roubados, atletas australianos e espanhóis assaltados..
-74 VictorPictor Vc sabe que o DOPS já existia antes da ditadura e que continua existindo até hoje em vários estados né? Sem pelo menos a data das fotos, a suspeita de que estas crianças tenham sido fichadas, ou mesmo presas, recai sobre qualquer governo entre 1924 até o fim da ditabranda.
-73 Lffaz Lamentável é cooperar com o imperialismo e querer interferir na política interna de um país soberano cujo líder foi eleito legítimo e democraticamente, sendo uma das últimas resistências ao neoliberalismo destrutivo promovido pelos estadunidenses.
-73 RandyLiddell Nojo é essa cambada de 'adultos' sem responsabilidade pelos seus atos, que quer transar sem protecao e depois fazer aborto.\n\n
-70 merdalsd Tem que denunciar. Cadeia nelas.
-67 parallel_life Bem típico dos autoritários cercear manifestações de opiniões diferentes mesmo, nem que seja com tinta. A próxima atitude será pintar os livros de branco?
-66 MeesterNoName Huh. Looks like some Brazilians are happy they beat a third tier German U-23 team in a penalty shoot out.\n\n7-1 boys, 7-1.
-64 Dinosaur_Supervisor Vamos combinar: videogame não é esporte.
-64 Lffaz Mensagem clara do STF: não vai ter golpe.\n\nMoro tem que ser exonerado por colocar em risco a soberania nacional.
-64 SeuGomes Obviamente, tudo que foi dito é 100% sério, ironia não existe mais.
-61 Hambr > A menina obviamente não era santa.\n\nSim. Provavelmente você também não é santo. Isso não significa que podem te estuprar.
-61 PedroDev Tudo que eu preciso é de um VLOGGER com o cabelo mais ridículo da história (edit: só pra explicar, pois o pessoal tá com dificuldade de entender, que a zuada com o cabelo dele é só uma brincadeira... o problema dele tá na parte de dentro da cabeça) pra me dizer oq achar sobre desarmamento
-61 smartassnick Não entendi. Esse aplicativo é pro hype train da nova geração? \n\n\nPokémon é legal e tal mas já passou da hora de parar. Vão só pegar outro par oposto (sombra e luz, mar e céu, fogo e água, daqui a pouco é 0 e 1, esquerda e direita) e fazer uns designs sem noção.
-58 sceptres Eu amei esse filme. Só não fez sucesso prq os neckbeards não gostaram que era um elenco feminino \n\n*ITT: Neckbeards se sentindo atacados
-57 [deleted] [deleted]
-57 Raposo_tavares Se fossem tantos assim, teriam vencido nas urnas. Não vai ter golpe.
Parabéns a todos envolvidos!
submitted by lakeyosemit2 to brasil [link] [comments]


2014.02.01 00:58 50_Shades_of_Gandalf wow so edgy much anger

Sais do trabalho uma hora depois do suposto porque o esforço que te foi imposto foi mal gerido, tendo-te sobrecarregado as horas seguintes ao almoço em que a tua barriga, grávida de hidratos baratos e de alguma água suja açucarada que saiu de uma máquina que prometia servir cafés, reclama por nutrientes apropriados ao devido funcionamento do teu corpo. Estás agora parado no trânsito. O lobo frontal do teu cérebro sente-se insultado pela falta de uso e desliga-se, deixando-te de boca entreaberta enquanto ouves uma música que parece ter sido especialmente engenhada para não te fazer sentir qualquer emoção. Dás por ti a cantarolar “I should have brought you flowers…” Odeias-te por conhecer toda a letra de uma faixa que não te diz coisa alguma. O locutor ri-se como que gozando da tua indecisão entre mudar de estação de rádio e passar à música de merda seguinte, ou desligar o aparelho e apreciar a cacofonia dos motores que te rodeiam, marcada pelas buzinas intermitentes e pelas menos frequentes caralhadas frustradas para ninguém em especial. Sabes já como manter a tua sanidade – evitar olhar para o relógio e celebrar para ti mesmo sempre que consegues ganhar velocidade suficiente para meter a terceira mudança. Desligas finalmente o rádio, como sempre acabas por fazer, e juras, em vão, que amanhã será o dia em que trarás um audiobook com algo interessante para aprenderes durante este tédio rotineiro. Irás lembrar-te mais tarde, já em casa, dessa promessa, a meio da tua sessão de masturbação digital, o que te levará a adiares a tarefa para o dia seguinte, porque a glande do teu pénis tomou, entretanto, o lugar do teu lobo frontal.
Ainda tens de passar no supermercado para comprar leite para poderes ter um pequeno-almoço decente amanhã. Tens o Jumbo, o Minipreço, o Pingo Doce, o Lidl, e o Continente. Aprecias a ilusão de livre-arbítrio. Escolhes o Minipreço porque tens um talão que te dá um desconto de seis cêntimos por pacote de leite. Nem é o supermercado que fica mais perto, mas estás demasiado cansado para pensar nisso. Colocas o talão numa ranhura do tablier do carro, porque não tens nada melhor para fazer. O BMW atrás de ti buzina-te. Parece que não avançaste os três metros que, entretanto, a fila avançou à tua frente. Encurtas a distância enquanto pensas em todos os insultos apropriados àquele sacana e à sua mãe. Estás numa subida, e o gajo parece ansioso por dar um beijo à tua matrícula traseira, nunca parando a menos de um tímido par de centímetros e levando-te a puxar o travão de mão a cada paragem.
Páras. Puxas o travão de mão. Soltas o travão de mão enquanto tentas fazer ponto de embraiagem e rezas para que o carro não deslize demasiado para trás a todos os santos que estás a inventar por necessidade — este percurso, todos os dias, há muito te converteu ao ateísmo. Avanças alguns metros com a ténue esperança de que será desta que o trânsito fluirá, mas não. Páras e puxas o travão de mão novamente. Limpas o suor da cara. Olhas para trás. O homem do BMW está a falar ao telemóvel.
Vês um espaço seguro na faixa à tua esquerda, que está a avançar mais rápido do que aquela em que tu estás. Ligas o pisca e o condutor na tua diagonal está relaxado o suficiente para te deixar colocar à sua frente sem questionar a decisão do examinador que te declarou como um condutor competente, o que é a maior demonstração de solidariedade humana que viste durante o dia todo.
O horizonte tapa já metade do sol quando chegas ao estacionamento do supermercado que está repleto de veículos cujos donos aparentam ter uma inabilidade em compreender os rectângulos formados por linhas brancas no chão, o que te leva a procurar espaço para o teu carro na inevitável zona de terra batida, no canto mais longínquo onde cheira a urina e outras águas tépidas cujas fontes tu preferes não saber.
Entras no estabelecimento e recebes uma literal lufada de ar fresco que te sabe bem durante os primeiros segundos. Infelizmente, porque o aparelho de ar condicionado provavelmente nunca foi limpo desde que foi colocado à entrada para fazer com que as pessoas confundam o supermercado com um lugar agradável para se visitar, os teus brônquios entram em modo paranóico e incham de maneira a não permitir a passagem dos temíveis microorganismos que, por acaso, tenham ameaçado entrar no teu sistema respiratório. Tiras o inalador do bolso e alivias a tua asma enquanto tentas ignorar o olhar coscuvilheiro das duas ou três velhotas que nunca viram um inalador na vida e que provavelmente pensarão que estás a ingerir droga, o que não seria assim tão mau não fossem os membros daquela faixa etária acharem que a “droga” é uma substância única criada pelo demónio, cujos efeitos são a combinação dos indesejáveis entre a heroína, cocaína, ketamina e metanfetaminas. Nunca param para se perguntar porque raio é que esta substância perigosíssima é tão popular entre a juventude se todos os drogados parecem acabar em valetas com as caras desfiguradas e corpos dignos do Holocausto, após terem prostituído o último dos seus orifícios para obter o dinheiro suficiente para a próxima dose. A percepção em grupo é uma terrível maldição. Nessas idades avançadas, contudo, é apenas triste.
“Tem um minuto para eu lhe falar de…”
“Não, obrigado.”
“Mas temos algumas vantagens que lhe poderiam…”
“Não, obrigado.”
Ignoras todos os vendedores que te abordam em direcção à ala do leite, que está colocado no canto oposto ao da saída para obrigar pessoas como tu a passarem por todas as coisas que não querem mas que o supermercado espera que venham a querer por impulso. Evitas estabelecer contacto visual, mas estas pessoas parecem ter sido Testemunhas de Jeová em vidas passadas e não conseguem interpretar que não tens qualquer interesse no que eles queiram oferecer. Isso porque sabes bem que, por muito paleio que elas tenham, não seriam pagas se não fosse o supermercado que ganhasse no final de contas, e tu odeias supermercados. Odeias a forma como os empregados das caixas te tratam bem apenas porque o supervisor pode estar a fazer a sua ronda. Odeias a forma como os mosaicos no chão mudam para padrões mais detalhados nas alas dos produtos mais caros, obrigando-te a andar mais devagar para não fazeres tanto barulho com o carro. Odeias a forma como estão a tentar substituir as caixas tradicionais por caixas automáticas de maneira a poderem despedir mais empregados enquanto te asseguram que é para “sua comodidade.” Acima de tudo, odeias a forma como são tão necessários.
Pegas num pack de seis pacotes de leite, que é tudo o que precisas. Procuras uma das caixas tradicionais, porque as filas para as automáticas são ironicamente maiores. Uma massa de faces cinzentas olha com desinteresse para todo o lado e para lado nenhum, como um grupo de galinhas sedadas. Escolhes a fila menor mas acabas por mudar quando reparas que é a caixa prioritária para as grávidas, idosos e deficientes. Tentas desesperadamente manter a tua mente activa. Consideras o que aconteceria se chegasse uma grávida, um idoso e um deficiente ao mesmo tempo. Consideras se uma deficiente grávida teria prioridade sobre qualquer outro. E então sentes um impacto na tua rectaguarda e o teu pack de seis pacotes de leite cai ao chão, e duas latas de polpa de tomate deslizam cada uma para o seu lado. Atrás de ti está uma rapariga com não mais de dez anos e sem os dentes da frente. “Desculpe, senhor,” diz, antes de sair a correr pelo meio de uma selva de pernas atrás de uma das latas que se dirigia para debaixo de uma prateleira. Apanhas a outra lata e apanhas o pack dos seis pacotes de leite. Dás a lata à menina, que te devolve um sorriso com mais gengiva que dente, e dirige-se para perto de quem assumes ser a sua mãe.
E então reparas que as caras não são mais cinzentas. Cada uma destas pessoas estão tão condenadas como tu a terem vidas miseráveis dentro de uma sociedade miserável que não permite felicidade absoluta sob risco de colocar em causa toda uma economia baseada na crença das suas vítimas em serem melhores do que as outras vítimas. Uma geração de homens e mulheres que têm medo de perder os móveis e os carros e os telemóveis e as roupas e os sapatos e toda a tralha vazia que, apesar de tudo o que se vêem obrigados a passar, foram conseguindo acumular. Cada uma destas pessoas irá para casa exausta e ligará a televisão e observará o triatlo do noticiário de guerras, doenças e mortes de sempre e concluirá que nem está assim tão mal. Os intervalos regulares para a publicidade fazem com que o seu limite de concentração não seja superior a vinte minutos, de maneira a que não consigam articular pensamentos complexos e perigosos. Depois verá um qualquer reality show que terá tanto de realidade como as mamas da brasileira que de certeza lá estará apenas para causar polémica, e sentir-se-á superior àquela gente que até aparece na televisão e tudo. Pessoal como aquele filho da puta do BMW sai beneficiado, sim, mas até ele fica preso no trânsito. É impossível. É um bravo novo mundo em que se deve ser feliz porque pelo menos não se é o mais infeliz de todos.
Este homem à tua frente está a demorar imenso tempo a retirar as garrafas de vinho do carro uma a uma. A sua cara é pálida e ele irrita-te. Lembras-te de teres pensado em algo, mas não do conteúdo em si. Encolhes os ombros, enquanto consciencializas que não seria algo de especial. As caras à tua volta são cinzentas, sem expressão, assim como a tua. Esperas poder chegar a casa, atirar qualquer coisa para o teu microondas Samsung e poder adormecer no teu sofá IKEA, iluminado pela luz do teu portátil HP, e sonhar com o fim de semana, quando poderás sair à noite com o intuito de partilhar fotos de bebedeira no Facebook, para demonstrar o social e feliz que tu és, assim como qualquer outro cidadão normal.
submitted by 50_Shades_of_Gandalf to escrita [link] [comments]


BRIGA NA RUA - PORRADA 3 VS 1 (APANHEI) - YouTube 8 Exercícios Eficazes Para Obter Uma Barriga Tanquinho em ... Meu segredo para ter orgasmos (eu uso as pernas) - sozinha ... Como ter COVINHAS naturalmente? QUANDO A CLIENTE ESTÁ MENSTRUADA - YouTube Doce é sentir - Meninas Cantoras de Petrópolis - YouTube TENTEI COMPRAR O BEIJO DAS MENINAS DA CASA!! ( DEU RUIM ... Como Ser Popular Sem Nem Sequer Tentar - Chris ... - YouTube

Exercícios abdominais para mulheres: Meninas, obter mais ...

  1. BRIGA NA RUA - PORRADA 3 VS 1 (APANHEI) - YouTube
  2. 8 Exercícios Eficazes Para Obter Uma Barriga Tanquinho em ...
  3. Meu segredo para ter orgasmos (eu uso as pernas) - sozinha ...
  4. Como ter COVINHAS naturalmente?
  5. QUANDO A CLIENTE ESTÁ MENSTRUADA - YouTube
  6. Doce é sentir - Meninas Cantoras de Petrópolis - YouTube
  7. TENTEI COMPRAR O BEIJO DAS MENINAS DA CASA!! ( DEU RUIM ...
  8. Como Ser Popular Sem Nem Sequer Tentar - Chris ... - YouTube

Estava indo atraz de uma manga pra comer, quando do nada fui abordado por 3 meliantes que reclamaram de alguns videos meu e vieram rapidamente pra cima de mi... MEU CANAL NOVO DE FUTEBOL: https://www.youtube.com/channel/UCQnZTWpfLzoYb9xL4RQGSOg INSCREVA-SE: https://www.youtube.com/user/rezendeevil?sub_confirmation=1 ... Você também é um fã de sorriso com covinhas nas bochechas, mas não nasceu com as marquinhas? Saiba agora como ter covinhas naturalmente! Mas primeiro deixe s... Meu segredo para ter orgasmos é usar as pernas de um jeito meio peculiar que eu explico nos vídeos rs Eu também falei do curso que me ajudou, se tiver intere... Inscreva-se em Incrível: https://goo.gl/ZHFt2x ----- Uma das melhores mane... Homage of Televisual, at 35 years of the group Petropolis Girls Choir. CHRIS HEMSWORTH (THOR) - Como Ser Popular Sem Nem Sequer Tentar https://youtu.be/A-8UzHSNAtM Acesse a Universidade Carisma: https://unicarisma.com/universida... ' VÍDEO TODA SEMANA ' (SEGUNDA, QUARTA E SEXTA) PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: https://instagram.com/tamiires_raamos?igshid=dzebtznx8hie CANAL DA TAMY: https://www.y...